LutoNotícias

Adeus a Deca Miranda, conceituado empresário do setor agropecuário de Três Pontas

“Diz o ditado que quem dá aos pobres empresta a Deus, acredito que comigo tenha sido bem assim. Tenho muita sorte e sou muito grato por tudo que conquistei”. (Deca Miranda – Foto: rede social)

Arlene Brito

Faleceu na madrugada desta sexta-feira (13), no Hospital Humanitas, em Varginha, José Carvalho Miranda, tradicional cafeicultor de Três Pontas.

Deca Miranda, como era conhecido, estava com 92 anos e completa lucidez. Era um dos sete filhos de Urbano Garcia de Miranda e Maria Inês de Carvalho.  Quando tinha apenas oito anos seu pai faleceu e ele passou a ajudar sua mãe na lida da terra.

Aos 18 anos foi servir o exército. “Fiz o Tiro de Guerra aqui em Três Pontas, mas ia de trem quase todo dia fazer instrução em Três Corações, na cavalaria”, contou certa vez. Destacou-se entre os soldados e tornou-se tenente da cavalaria. “Nesta época cheguei até a arriar cavalo para o Getúlio Vargas”, revelou com orgulho.

Depois de alguns meses foi transferido para Jundiaí. Lá ganhou o posto de Sargento da Artilharia. Foi convocado para a guerra, mas não chegou a viajar para a Itália porque o conflito terminou um dia antes da partida Jundiaí-Rio de Janeiro, de onde sairiam os soldados brasileiros.

Deca voltou para Três Pontas, casou-se com dona Terezinha e começou a adquirir seu patrimônio, comprando terras em Coqueiral. Passado o tempo, vendeu as terras e comprou a Fazenda São Sebastião, em Três Pontas. Eram 180 alqueires. Hoje a propriedade acumula 500 alqueires. Deca Miranda inovou ao tirar o café da ladeira e plantar na parte plana da fazenda. Ninguém por aqui havia plantado café no cerrado… A Fazenda tem 200 alqueires de café e colhe cerca de 12 mil sacas por ano. A diversificação também faz parte dos negócios da Fazenda, que possui mais de mil cabeças de gado de corte das raças Tabapuã, Nelore e Guzerá, cerca de 200 búfalos, carneiro, porco, pato, ganso, marreco entre outros. Seu Deca também tinha orgulho em falar dos seus funcionários. Segundo ele, mão de obra nunca foi problema na Fazenda São Sebastião, ondem moram 18 famílias.

Sócio das cooperativas de Três Pontas, Varginha, Guaxupé, Boa Esperança e de São Sebastião do Paraíso, ele conquistou outras propriedades, transferidas para os filhos.

“Já fiz um pouco de tudo nessa vida. Mas só quem trabalha é que sabe mandar no serviço. Quem não sabe como é que faz, vai mandar como?” (Foto: Cocatrel)

Deca Miranda é um dos 130 sócios fundadores da Cocatrel. Ele também foi, juntamente com José Maria Rabelo, Dr. Odilon e Antônio Mauro, fundador do Sindicato Patronal de Três Pontas, entidade que defendia o direito dos fazendeiros e que “fez muita coisa boa para Três Pontas”.   Foi o Sindicato que deu início às antigas exposições agropecuárias da cidade, famosas por durarem cerca de 10 dias e que grande parte da população sente muita falta. Violeiro de primeira, seu Deca passava dias tocando e cantando para animar a turma que ia prestigiar o evento.

Outra importante exposição que ele acreditou e incentivou foi a Expocafé. O desafio maior dos organizadores, na época a Universidade Federal de Lavras (Ufla), seria encontrar um local para realizar a feira. Deca abriu as portas da sua Fazenda para receber uma multidão de pessoas, durante três dias, por quatro anos consecutivos.

O respeito pela natureza também era uma de suas marcantes características. Gostava de flor, plantava e preservava árvores, tratava bem os animais.  Este seu respeito pelo meio ambiente rendeu-lhe uma homenagem prestada pela AREA (Associação Regional dos Engenheiros e Arquitetos), no Dia do Campo Limpo, e também pela Cocatrel.

Deca Miranda é pai de 12 filhos, teve mais de 30 netos e alguns bisnetos. O sepultamento acontecerá neste sábado (14), no Cemitério Municipal de Três Pontas, em horário a ser marcado.

(Fonte: Assessoria de Imprensa Cocatrel)

 

 

Notícia anterior

O pior cego não é aquele que não quer ver; o pior cego é aquele que não se enxerga!

Próxima notícia

Farmácias de Plantão em Três Pontas

Arlene Brito

Arlene Brito

Jornalista formada pelo Centro Universitário do Sul de Minas (Unis-MG). Atuou em praticamente todos os órgãos de imprensa de Três Pontas (MG): TV Cidade, Rádio Três Pontas, Jornal Tribuna, Assessoria de Comunicação da Prefeitura Municipal, Jornal Correio Trespontano e agora está à frente do site Sintonizeaqui. Indicada para compor a equipe de assessoria de imprensa do Governo de Minas Gerais (2003/2010), optou por continuar em sua Terra Natal registrando os principais fatos e acontecimentos e, assim, ajudar a escrever a história do Município conhecido internacionalmente como a Capital da Música e do Café.