Poesias e AfinsVariedades

Chernobyl, nunca mais

 

Vicente de Paula Oliveira (Três Pontas-MG)

Que mundo louco o que vivo

Que se torna radioativo
Nesta maldita era atômica
Como posso ser feliz?
Meu nobre sentimento diz
Não tenho a vida biônica.

Mundo da radioatividade
Que não traz felicidade.
No viver do dia a dia
Eu vejo e sinto a maldade
Dos homens, a criatividade
Da fatal moderna agonia.

Nações, potências se dizem.
Propaga-se em muitos países,
Nesta era espacial,
Malditos homens, insensatos!
Tornam-se bichos do mato
Células do irracional.

Neste meu século vinte
Os homens têm requinte
De guerriar-se nos botões.
Parece que cansaram um pouco
Ou se tornaram mais loucos
Abandonando os canhões.

Perderam o senso de justiça,
Tornaram-se bicho preguiça,
Do mal constroem os seus planos
Malditos fantoches da vida
Que levam as mentes feridas
Matando seres humanos.

“Nagazaki e Hiroshima
Também fazem parte das rimas,
Dos pesadelos lembrados
Pagaram com as próprias vidas,
Vidas outrora vividas
Nos corpos despedaçados”.

Pedaços de seres humanos
Irmãos de outros oceanos,
Jazem as vidas nas mortes,
Vítimas da bomba fatal,
A destruição mortal
Dos poderosos mais fortes.

Poluem, com o lixo atômico,

É um desastre astronômico.
Poluem uns tantos países
Descendentes dos macacos,
Já cavam novos buracos
Já voltam às suas raízes.

 

Notícia anterior

Dia dos Pais em TP: saiba sobre comércio, missas, gincana escolar e homenagem do Lions Club

Próxima notícia

Depois de São Tomé, Fenac segue para Coqueiral em etapa que seria realizada em Três Pontas

Arlene Brito

Arlene Brito

Jornalista formada pelo Centro Universitário do Sul de Minas (Unis-MG). Atuou em praticamente todos os órgãos de imprensa de Três Pontas (MG): TV Cidade, Rádio Três Pontas, Jornal Tribuna, Assessoria de Comunicação da Prefeitura Municipal, Jornal Correio Trespontano e agora está à frente do site Sintonizeaqui. Indicada para compor a equipe de assessoria de imprensa do Governo de Minas Gerais (2003/2010), optou por continuar em sua Terra Natal registrando os principais fatos e acontecimentos e, assim, ajudar a escrever a história do Município conhecido internacionalmente como a Capital da Música e do Café.