Outros

Dona de casa comemora Cosme e Damião com festa para a garotada Evento completa 25 anos e representa o cumprimento de promessas feitas aos Gêmeos para a cura de crianças Enfermas

Mais de 70 crianças vindas de várias partes da cidade se reuniram no Bairro Cidade Jardim, em Três Pontas, na tarde de sábado (27). Elas foram recebidas por Liduina da Rosa Pires ou Linda como a anfitriã é mais conhecida. A dona de casa, pelo 25º ano consecutivo concretizava, então, uma das tarefas que mais lhe proporcionam prazer, a Festa de Cosme e Damião.

A garotada comeu e bebeu à vontade. Teve bolo e refrigerante e todo mundo saiu da comemoração com a tradicional lembrancinha contendo balas, pirulitos, pipoca e outras irresistíveis guloseimas. As mães, tias, madrinhas, vizinhas, enfim, quem acompanhou as crianças também foi muito bem servido.

“Esta é a única festa que eu faço aqui na minha casa, não tenho preguiça, faço de coração. Receber toda essa gente, essas meninas, esses meninos me faz muito bem. O maior prazer da minha vida é ver as crianças chegando, comendo, bebendo e saindo daqui alegres, felizes, contentes”, comentou dona Linda.

Tudo começou há 25 anos. O afilhado, Carlos Alberto, era ainda bem novinho quando adoeceu. A dona de casa fez a primeira promessa. Pediu a Cosme e Damião a cura do menino e, como sinal de gratidão, assegurou que distribuiria bolo para crianças em 27 de setembro, dia em que a Umbanda faz referências especiais aos gêmeos – Orixás de amor e alegria.

“Consegui a graça. Fiz a menor forma que existia, chamei as crianças que passavam na rua e dei a elas o bolo, balas e guaraná”, recorda.

Linda não parou mais. Sempre que batem à sua porta solicitando ajuda para menores doentes, ela repete os gestos – a promessa e o cumprimento. Foi assim pela recuperação de Matheus, mesmo sem conhecer o garotinho paulistano que aos cinco anos de idade foi desenganado pelos médicos, com um gravíssimo problema no pulmão. Ela conta que sempre recebe notícias de que o, hoje rapaz, está bem e que a cura e sobrevivência são considerados milagre pela equipe que cuidava do menino.

Cosme e Damião operam bênçãos na vida de quem tem fé. Por assim acreditar, a dona de casa segue de mãos dadas com os gêmeos e com a comemoração. Para o acontecimento de ontem não foi somente 1 pequena, mas 18 formas de bolo. O trabalho começou na sexta-feira pela manhã para que tudo estivesse pronto para quando o portão se abrisse e por ele entrassem os convidados. Há quatro anos, uma única amiga ajuda nos preparativos. “A Festa está enorme e enquanto eu tiver vida e saúde vou continuar com ela”.

Para honrar o compromisso, a anfitriã conta com ajuda de amigos que moram em Três Pontas e em outras cidades, São Paulo – por exemplo. Neste ano, uma senhora, também para agradecer a intercessão dos Orixás, se incumbiu de convidar a garotada e até providenciou um ônibus para o transporte das crianças que vieram de bairros mais distantes.

“Eu agradeço a todos, independente da quantidade que doaram. Desejo que Cosme e Damião cuidem para que nada falte em suas vidas. Desejo que Oxalá abençoe a todos, que tenham o dobro para dar a quem precisa”, finaliza dona Linda.

Embora a Festa tenha cunho Umbandista, a participação é aberta a todos, independente da crença, da raça, da condição econômica.

Vale destacar ainda que Cosme e Damião eram médicos e teriam exercido a Medicina sem cobrar. Eles morreram por volta de 300 d.C. Os gêmeos são também celebrados em 26 de setembro pela Igreja Católica e em 1º de novembro pela Igreja Ortodoxa.

 

 

 

Notícia anterior

Taça EPTV de Futsal – TAC disputa vaga para semifinal

Próxima notícia

Três Pontas está preparada para captar córneas

Arlene Brito

Arlene Brito

Jornalista formada pelo Centro Universitário do Sul de Minas (Unis-MG). Atuou em praticamente todos os órgãos de imprensa de Três Pontas (MG): TV Cidade, Rádio Três Pontas, Jornal Tribuna, Assessoria de Comunicação da Prefeitura Municipal, Jornal Correio Trespontano e agora está à frente do site Sintonizeaqui. Indicada para compor a equipe de assessoria de imprensa do Governo de Minas Gerais (2003/2010), optou por continuar em sua Terra Natal registrando os principais fatos e acontecimentos e, assim, ajudar a escrever a história do Município conhecido internacionalmente como a Capital da Música e do Café.