PoliciaisQualidade de Vida / Saúde

Especial – Palestras levam conscientização sobre DST/Aids aos reeducandos do Presídio de Três Pontas

Palestra DST Aids Presídio TP 4Levar uma mensagem de paz, de fé, do poder da transformação e, assim, mostrar aos reeducandos do Presídio de Três Pontas que é possível ser feliz e se auto valorizar mesmo sendo portador do vírus HIV. Simultaneamente, conscientizar que é possível também se prevenir e evitar a contaminação e a doença.

Com estes objetivos, o ativista da Casa Amor e Vida, de Varginha, Gustavo Tavares Canalonga, ministrou palestra na manhã desta terça-feira (2). Na oportunidade, ele alertou que a Aids não tem cara e não escolhe raça, credo ou classe social. O ativista que atua na conscientização de DST/Aids e Drogas destacou que o contágio pode acontecer a qualquer descuido e por várias vezes reforçou a necessidade da prevenção com o uso de preservativo. A fé como poder de transformação e recuperação da autoestima esteve entre os tópicos enfatizados.

Palestra DST Aids Presídio TP 9Quem também falou nesta manhã especial no Presídio trespontano foi o Médico, Adrian Nogueira Bueno. Integrante da equipe Casa Amor e Vida, o Reumatologista apresentou vários dados sobre a Aids e outras doenças. Com recursos visuais tentou impactar o público, alertando que o assunto não é brincadeira, portanto, orientou que não há proteção se não evitar os comportamentos de risco e usar a camisinha, sempre. 

Após as explanações, o público – bastante interativo – teve dúvidas esclarecidas pelos palestrantes.

Palestra DST Aids Presídio TP 14

Erik Roberto, Paulo Luis, Washington Borges, Helena Pieve e Márco Aurélio Bispo compuseram a mesa

O evento, no pátio de entrada do Presídio, aconteceu após a comemoração do Dia Mundial de Luta Contra a Aids (01/12) e contou com a presença de um grupo de reeducandos e profissionais que atuam na Unidade Prisional. O Prefeito, Paulo Luis Rabello (PPS), o Vice-Prefeito, Erik dos Reis Roberto e a Coordenadora do Programa DST/Aids no Município, Maria Helena Tinano Pieve, compuseram a mesa principal ao lado do Diretor do Presídio, Washington Fonseca Borges e do Diretor de Segurança, Marco Aurélio Bispo. Presentes ainda a Secretária de Cultura, Débora Andrade e os funcionários do Departamento, Marita Duarte e “Tentém”.

“Revirando a Lata do Lixo Me Encontrei”

Gustavo Tavares presenteou a Biblioteca do Presídio com três exemplares autografados do livro de sua autoria “Revirando a lata do lixo me encontrei”. A obra foi recentemente lançada (Gráfica e Editora Bom Pastor) e na cerimônia, em Varginha, estava o Médico Especialista em Aids, Fernando Almeida Ferry, que desenvolve várias ações sociais no Rio de Janeiro. O autor contou também, entre outros, com o apoio do Deputado Jean Uyllys (Psol-RJ).

O livro é uma autobiografia na qual o autor mostra que a Aids não tem cura e, por todas as consequências físicas e psicológicas da doença, é imprescindível estar atento à prevenção.

Em suas palestras, Gustavo Tavares troca o exemplar por 01 lata de Sustagen ou 01 lata de Sustare. O complemento alimentar é doado a pacientes DST/Aids.

Orientação é foco do trabalho da Casa Amor e Vida

Segundo o ativista, a Casa Amor e Vida possui a documentação oficial de fundação e alguns serviços começaram a ser prestados. Médicos, psicólogos, psicopedagogos, biólogos estão entre os profissionais que abraçaram a causa.

O foco principal do projeto é dar amor e prestar solidariedade às vítimas de violência, de exclusão e aos grupos de minorias. Na presidência está o Vereador, Rômulo Azevedo. É no Gabinete dele, em Varginha, que o trabalho dos voluntários tem sido executado, já que ainda não existe sede definida. “A Casa Amor e Vida é uma Casa de orientação porque quem orienta cura e se você orienta não precisa punir”, completou Gustavo Tavares.

Gentilezas

Durante o evento, realizado com apoio do Governo Municipal, a Secretaria de Saúde (SMS) distribuiu preservativos masculinos e femininos e gel lubrificante. Os reeducandos foram agraciados ainda com Diploma de Participação nas Palestras e a ala feminina também ganhou flores artesanais. O encontro foi encerrado com café, mas, minutos antes, o Coral Renascer – composto por reeducandos – espalhou alegria e arrancou aplausos do público. O grupo teve a regência e acompanhamento ao teclado do músico trespontano, Oswaldo Junior.

Em uma das laterais do prédio, os visitantes puderam conhecer mensagens e desenhos sob o tema elaborados pelos presos. 

Percepções

Depois de agradecer a boa vontade dos palestrantes e a abertura dada pela diretoria do Presídio, o Prefeito Paulo Luis elogiou as mudanças no sistema prisional mineiro. As melhorias no tratamento aos detentos foram citadas como uma eficiência do Governo do Estado. Para o Prefeito, o Presídio deixou de ser depósito de gente e passou a ser um lugar onde os cidadãos em desacordo com a Lei têm a oportunidade de pagar pelos seus erros, mas também de refletir, de adquirir conhecimento e de se reestruturar para a vida que virá, de novo, fora das grades. Ele reforçou a parceria do Município para com a Unidade Prisional. “As dificuldades existem, mas nós vamos superá-las sempre com os olhos voltados para o céu e com os pés no chão”, disse.

Para a Coordenadora de Enfermagem e Coordenadora do Programa DST/Aids de Três Pontas, Maria Helena Tinano Pieve, o evento foi oportuno, já que a contaminação pelo vírus HIV voltou a chamar a atenção das autoridades em Saúde brasileiras. Os casos têm sido registrados principalmente em adolescentes. “A gente sente a importância de conversarmos de novo sobre HIV/Aids, de fazermos a prevenção, de distribuirmos preservativos. Todas as dúvidas sobre DST/Aids podem ser tiradas na sede do Programa (abaixo do Hospital) e nos postos de saúde”, completou Helena.

Na opinião de Washington Borges, a iniciativa de Gustavo, Dr. Adrian e Prefeitura é louvável. O Diretor do Presídio analisa que a mudança comportamental do preso não pode se limitar à esfera criminal, mas deve se estender à área social e médica. “O indivíduo que tem o HIV precisa de tratamento adequado, ter instrução para – quando sair do cárcere e retornar à sociedade – não seja um produtor de doença. Nossa preocupação não é só evitar a reincidência no crime, mas que o indivíduo tenha condições também sociais para continuar a sua vida; que ele saia daqui melhor do que entrou em todos os sentidos”, defendeu.

O Diretor contou que as palestras encerraram um ciclo de atividades na Unidade Prisional de Três Pontas. Segundo ele, foram 12 meses de ações constantes nas áreas artística, esportiva, religiosa e de saúde. “Deixo nossos agradecimentos à Administração que muito tem nos ajudado e estendo o nosso muito obrigado aos palestrantes”, finalizou.

Jovens também terão acesso às orientações

Ainda hoje (02), Gustavo Tavares e Dr. Adrian voltam a falar com os trespontanos. Eles vão passar as orientações aos participantes do Pró-Jovem. O encontro será às 15 horas, no Plenário da Câmara de Vereadores.

Vale reforçar que os interessados em adquirir o livro “Revirando a lata do lixo me encontrei”, devem levar 01 lata de Sustagen ou 01 lata de Sustare para apoio a pacientes DST/Aids.

 

Notícia anterior

Nepomuceno comemora fundação de Rotary Club

Próxima notícia

Quinta e sexta-feira tem Bazar Solidário em Três Pontas

Arlene Brito

Arlene Brito

Jornalista formada pelo Centro Universitário do Sul de Minas (Unis-MG). Atuou em praticamente todos os órgãos de imprensa de Três Pontas (MG): TV Cidade, Rádio Três Pontas, Jornal Tribuna, Assessoria de Comunicação da Prefeitura Municipal, Jornal Correio Trespontano e agora está à frente do site Sintonizeaqui. Indicada para compor a equipe de assessoria de imprensa do Governo de Minas Gerais (2003/2010), optou por continuar em sua Terra Natal registrando os principais fatos e acontecimentos e, assim, ajudar a escrever a história do Município conhecido internacionalmente como a Capital da Música e do Café.