Educação / Cultura / LazerEntretenimentoNotícias

Grupo Morena se despede do maior festival de música do Brasil

Arlene Brito

Depois de longos dez anos, Três Pontas voltou a sonhar com a participação na grande final do Festival Nacional da Canção, o Fenac, considerado o maior do gênero do Brasil. A cidade – conhecida por seus talentos musicais – esteve representada na competição pelo Grupo Morena que defendeu “Se a minha morena cantasse”. A composição de André dos Santos, musicalizada por Sérgio Ricardo, contagiou o público que acompanhou a primeira noite de apresentação das semifinalistas, no feriado de 7 de setembro, na sul-mineira Boa Esperança. A alegre letra e a leve interpretação conquistaram também os jurados.

As meninas “Morena” estavam à mil. “Foi uma noite de realização. Sempre sonhamos em pisar naquele palco. E estamos nessa graças à torcida da nossa gente. Obrigada mais uma vez”, comentou Lidyanne Brito, integrante ao lado de Helen Mariah, Elis Theophilo e Laíse Reis (vocal), Sérgio Carioca (compositor e violão), Du Botrel (guitarra), Diego Barbosa (baixo) e Rafael Maluko e Wallace Nenego (percussão).

O sucesso do Grupo foi tanto em Três Pontas que a banda recebeu uma série de vídeos de crianças e adultos cantando o refrão. Em agradecimento ao carinho, elas fizeram ensaio aberto, na noite de terça-feira (5) na Praça do “Centenário” e exibiram um clipe, junção do material recebido. Seguiram ainda mais confiantes para Boa Esperança, berço do Fenac, mas não conseguiram a tão almejada vaga para a finalíssima.

Três Pontas esteve na final em 2007, quando Clayton Prósperi ficou em 4º lugar com “Inquietação”. Em 2001, também ele comemorou a 2ª posição no Fenac com “De mar e de Drumond”. A música recebeu ainda o título de “Melhor Arranjo”.

Pela primeira vez em 47 anos, o evento acontece fora das dependências do Radium Clube Dorense, sendo realizado na Praça “Padre Júlio Maria”. Também ontem (8) a noite foi de competição acirrada, já que outras semifinalistas tentavam garantir vaga para seguir em busca do cobiçado troféu “Lamartine Babo”.

Ao todo, nos dois dias, foram apresentadas 21 canções, selecionadas nas etapas de São Lourenço, Extrema, São Tomé das Letras, Coqueiral e Guapé. Dez concorrem às maiores premiações na finalíssima, na noite deste sábado (9).

Nesta sexta-feira, após a classificação das finalistas, houve show com os mineiros da Banda 14 Bis que estão comemorando 35 anos de carreira.

Premiação do 47º Fenac

  • 1º classificado: R$ 24.000,00
  • 2º classificado: R$ 18.000,00
  • 3º classificado: R$ 12.000,00
  • 4º classificado: R$ 8.000,00
  • 5º classificado: R$ 6.000,00
  • Melhor intérprete: R$ 8.000,00
  • Música mais comunicativa: R$ 7.000,00
  • 6º ao 10º classificados: R$ 3.300,00
  • 11º ao 20º classificados: R$ 2.300,00

Até o fechamento da matéria, a assessoria de comunicação do Fenac não havia divulgado oficialmente as músicas classificadas para a final, mas em redes sociais alguns participantes lamentaram não haver representantes mineiros. O Grupo Morena era o único semifinalista das Gerais. 

Notícia anterior

Padre Victor – Aniversário do Beato começa na Trilha das Virtudes

Próxima notícia

Oração de Toda Hora

Arlene Brito

Arlene Brito

Jornalista formada pelo Centro Universitário do Sul de Minas (Unis-MG). Atuou em praticamente todos os órgãos de imprensa de Três Pontas (MG): TV Cidade, Rádio Três Pontas, Jornal Tribuna, Assessoria de Comunicação da Prefeitura Municipal, Jornal Correio Trespontano e agora está à frente do site Sintonizeaqui. Indicada para compor a equipe de assessoria de imprensa do Governo de Minas Gerais (2003/2010), optou por continuar em sua Terra Natal registrando os principais fatos e acontecimentos e, assim, ajudar a escrever a história do Município conhecido internacionalmente como a Capital da Música e do Café.