DestaquesNotíciasOutros

MG 167: até quando ficaremos sem resposta?

Não é de hoje que a promessa da construção da terceira pista na rodovia MG 167, no trecho que liga Três Pontas a Varginha, vem sendo prometida e nada sai do papel.

O governador Fernando Pimentel esteve em Varginha e anunciou o início das obras de duplicação do trecho que liga Varginha à Fernão Dias, em Três Corações. Mas sobre as reivindicações e promessas, em relação à MG 167, que nos dá a impressão de terem se tornado apenas ferramentas para a eleição de vários políticos, que usaram dessa nossa necessidade como metas de suas campanhas, nada foi feito ou falado.

Há muitos anos a Cocatrel vem cobrando das autoridades competentes uma solução para esta estrada. Com um traçado extremamente sinuoso e perigoso, ela tem vitimado muitas pessoas que necessitam daquela via. Além disso, a rodovia é uma importante via de escoamento da produção agrícola e por isso o tráfego de caminhões pesados é intenso. “Varginha é hoje, devido ao porto seco, o principal centro de comercialização de café do país.  Nesta estrada, principalmente nos meses de safra, é muito grande o tráfego de veículos e, principalmente, de caminhões. Não havendo a terceira pista, além de muito perigosa, ela passa a ser extremamente lenta, por não possuir muitos pontos de ultrapassagem e nem acostamento. Esta obra da terceira pista tem que ser levada a sério e colocada como prioridade pelos nossos governantes. Quantas vidas já foram perdidas ali”? Indaga Francisco Miranda de Figueiredo Filho, presidente da Cocatrel.

As promessas vêm de longa data. Em 2013, a construção da terceira faixa na MG 167 foi tema da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, realizada em Três Pontas, no auditório da Cocatrel. Vários deputados e políticos da região estiveram presentes nesse encontro. “Com toda a certeza o governo está priorizando essa rodovia, que é considerada de alta periculosidade e merece investimentos”, afirmou o diretor do Departamento de Estradas e Rodagem (DER), da época, José Élcio Monteze. Naquela ocasião, outro tema também foi abordado. O então secretário de Estado de Obras, Carlos Melles, disse que o governo lançaria, naquele ano, “um lote do Programa Caminhos de Minas, dando autorização para a realização da licitação de obras de outros trechos, incluindo dois anseios de Três Pontas: o primeiro é o que liga o município a Paraguaçu, passando pelo Distrito do Pontalete e, o outro, de Três Pontas à Fernão Dias, passando por Carmo da Cachoeira.

Em 2014, o ex-governador Antônio Anastasia esteve em solenidade oficial, em Varginha, para a assinatura da celebração de mais uma etapa do Programa de Recuperação e Manutenção Rodoviária do Estado de Minas Gerais (ProMG). No encontro realizado no Colégio Marista, Anastasia também autorizou o início do projeto de engenharia para adequação de capacidade do trecho de 27,5 quilômetros, da MG 167, entre Varginha e Três Pontas, incluídos no Programa Caminhos de Minas.

Nessa ocasião, novamente falando sobre o trecho Três Pontas/Varginha, Melles explicou que a situação da rodovia preocupava o governo e que tratou como prioridade a melhoria da trafegabilidade do local. Ele disse que houve uma pequena paralisação, por problemas administrativos, mas que o projeto estaria em andamento.

Enfim, de promessas e afirmações já estamos cansados. Tentamos contato com a atual Secretaria de Estado de Transportes e Obras Públicas (SETOP), mas não obtivemos retorno. Não queremos mais politicagem e sim respostas e certezas. “Um município não cresce sem estradas. No passado, fomos ilhados pela Represa de Furnas e, agora, estamos perdendo a oportunidade da vinda de muitas empresas para Três Pontas. Além disso não temos como escoar propriamente nossos produtos. A verdade é que nossa cidade tem crescido pela força de vontade do seu povo. Precisamos de uma solução para esta vergonha chamada MG 167”, ressalta Francisco Miranda.

E as perguntas que fazemos são exatamente estas: onde estão, nessa hora, os deputados eleitos pelos cidadãos trespontanos, principalmente aqueles que tiveram a maioria dos nossos votos? Até quando continuaremos a perder vidas e oportunidades? Até quando seremos ludibriados por promessas? Até quando ficaremos sem respostas???

(A Assessoria de Comunicação da Cocatrel utilizou como fonte o extenso arquivo de matérias sobre a MG 167 dos blogs Conexão Três Pontas, Sintonize Aqui e Equipe Positiva, além do site G1)

Notícia anterior

Nesta sexta-feira, TOC recebe associados em tarde de brincadeiras e confraternização

Próxima notícia

Rapaz perde controle da moto, atinge árvore e morre no local; vítima é de TP

Arlene Brito

Arlene Brito

Jornalista formada pelo Centro Universitário do Sul de Minas (Unis-MG). Atuou em praticamente todos os órgãos de imprensa de Três Pontas (MG): TV Cidade, Rádio Três Pontas, Jornal Tribuna, Assessoria de Comunicação da Prefeitura Municipal, Jornal Correio Trespontano e agora está à frente do site Sintonizeaqui. Indicada para compor a equipe de assessoria de imprensa do Governo de Minas Gerais (2003/2010), optou por continuar em sua Terra Natal registrando os principais fatos e acontecimentos e, assim, ajudar a escrever a história do Município conhecido internacionalmente como a Capital da Música e do Café.