Outros

Segundo DNIT, obra que corrige curva perigosa próxima a Campos Gerais deve ser concluída até o final do mês

Se tudo continuar dentro do cronograma, sem interferências, até o dia 30 deste mês de novembro estará concluída uma obra que promete trazer inúmeros benefícios à população sulmineira e demais pessoas que trafegam pela Rodovia BR-369.

Desde o dia 24 de julho, mais de 60 trabalhadores e muitas máquinas ocupam um trecho de aproximadamente dois quilômetros entre a Rodovia BR-265 e a cidade de Campos Gerais, altura do quilômetro 134. Segundo o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes Terrestres (DNIT) – órgão que licitou a obra – a melhoria fundamental é a correção de uma curva  extremamente perigosa com um raio muito pequeno que provocava vários acidentes e muitos deles resultaram em dezenas de vidas ceifadas. 

O local é conhecido pelos moradores das proximidades como a “Curva do Zé Marcelo”. Devido à periculosidade do trecho, há tempos autoridades pediam a correção e donos de propriedades rurais teriam manifestado, inclusive, disposição em ceder uma área para facilitar o alargamento da pista.

A expectativa é que a correção da curva promova o tráfego seguro e para isso também está sendo feita toda a sinalização horizontal e vertical.

A obra, orçada em R$ 4,9 milhões, é totalmente financiada pelo Governo Federal, através do DNIT.

 

 

 

 

Notícia anterior

Três Pontas poderá ter Cemitério Campal

Próxima notícia

Duas vítimas fatais em acidente na MG 167, próximo a Três Pontas

Arlene Brito

Arlene Brito

Jornalista formada pelo Centro Universitário do Sul de Minas (Unis-MG). Atuou em praticamente todos os órgãos de imprensa de Três Pontas (MG): TV Cidade, Rádio Três Pontas, Jornal Tribuna, Assessoria de Comunicação da Prefeitura Municipal, Jornal Correio Trespontano e agora está à frente do site Sintonizeaqui. Indicada para compor a equipe de assessoria de imprensa do Governo de Minas Gerais (2003/2010), optou por continuar em sua Terra Natal registrando os principais fatos e acontecimentos e, assim, ajudar a escrever a história do Município conhecido internacionalmente como a Capital da Música e do Café.