Outros

Três Pontas poderá ter Cemitério Campal Local escolhido para possível instalação é apresentado em Audiência Pública

Três Pontas poderá ter um Cemitério Campal Horizontal. Os primeiros passos para a concretização do empreendimento já foram dados. O empresário trespontano, Sebastião Eduardo Silva, comunicou as autoridades locais sobre a intenção do credenciamento para a prestação dos serviços de cessão de uso de jazigos, sepultamentos, exumações e administração do cemitério.

Em seguida, iniciou as negociações de compra de um terreno de 30.000 m² no Jardim Esmeraldas, próximo à estrada de saída para Campos Gerais / Pontalete.

Na noite de ontem (11) o local foi apresentado em Audiência Pública – realizada no Plenário da Câmara de Vereadores – conforme exige a Lei Municipal 3.542, de 4 de junho de 2014, que rege a exploração de cemitérios particulares em Três Pontas.

Na oportunidade, o empresário explicou que durante visita ao único cemitério da Cidade, público e sob responsabilidade da Prefeitura, percebeu que o espaço já não atende à demanda e não oferece condições de expansão. Como ele atua na área de loteamentos / terraplanagem pensou “por que não aqui?” e iniciou uma pesquisa que comprovou as viabilidades do investimento.

“Este é um empreendimento sadio e que o Município necessita. Agradeço porque a proposta está sendo bem acolhida por vocês”, disse Sebastião Eduardo, se colocando à disposição para possíveis esclarecimentos.

A apresentação da proposta foi feita pelo Advogado, Renato Cândido Pereira. Segundo ele, a pretensão é construir um cemitério parque ou jardim, composto de gavetas no subsolo, todo coberto por gramado e abundante vegetação. As sepulturas de duas ou três gavetas serão identificadas por uma lápide pequena ao nível do chão. As salas, três no mínimo, para os velórios, o estacionamento e edificações para a administração ficarão dentro do imóvel para maior privacidade dos familiares e amigos dos falecidos e para evitar constrangimentos a futuros vizinhos do cemitério. Pelo projeto haverá também um velário – local para depósito de velas – e uma capela ecumênica em atendimento à Legislação.

Dentro do projeto, pelo menos cinco outros detalhes que atendem às exigências da Lei 3.542 chamam a atenção. Primeiro, os jazigos serão construídos gradativamente para que a área ocupada seja devidamente mantida. Segundo, do total de jazigos, 10% serão destinados a pessoas carentes indicadas pelo Poder Executivo. Terceiro, as demais sepulturas poderão ser adquiridas com pagamentos parcelados em até 100 vezes. A facilidade, explicou Dr. Renato, objetiva o planejamento para que famílias não tenham que arcar com custos inesperados em um dos momentos mais difíceis – a partida do ente querido. Também visa oferecer às empresas a oportunidade de beneficiar funcionários com a aquisição de jazigos.

Mais um diferencial, conforme a explanação do Advogado, será a igualdade. As sepulturas serão uniformes e sequenciadas independente da classe social, portanto, não haverá distinção de rico, pobre, indigente. “Podemos até levar uma vida diferente, mas no fundo e no fim somos todos iguais”, completou o empresário Sebastião Eduardo.

E quinto, após 30 anos de exploração do cemitério pelo particular, o imóvel será transferido para o Município. De acordo com Dr. Renato Pereira dificilmente os 30.000 m² serão ocupados no período de três décadas.

O cemitério campal ou jardim é um dos tipos mais utilizados atualmente, completou Dr. Renato, como forma de integração no ambiente urbano e por apresentar baixo impacto ambiental. O empresário Sebastião Eduardo já tem projetos semelhantes em andamento em outras cidades e mostrou que na região, municípios tais como Varginha, Alfenas e Três Corações usufruem desses modelos.

A próxima etapa será a avaliação do terreno pela Secretaria Municipal de Transportes e Obras e por órgãos ambientais.

Na Audiência de apresentação do local para possível instalação do cemitério campal horizontal estiveram presentes o empresário loteador, Leonardo de Souza Penha e os vereadores Sérgio Eugênio Silva (presidente da Casa), Paulo Vitor da Silva, Valéria Evangelista, Alessandra Sudério, Geraldo Messias, Francisco (Bairro Santana) e Vitor Bárbara. Também acompanhou o evento, o Procurador Legislativo Guilherme Ribeiro de Oliveira.

Os vereadores parabenizaram o empresário Sebastião Eduardo, enfatizaram a necessidade do empreendimento, desejaram sucesso e expuseram o apoio à iniciativa.

(Foto página principal: ilustrativa do Cemitério Parque das Colinas Verdes, SP)

 

 

Notícia anterior

Carmelo São José reza pela sua fundadora

Próxima notícia

Segundo DNIT, obra que corrige curva perigosa próxima a Campos Gerais deve ser concluída até o final do mês

Arlene Brito

Arlene Brito

Jornalista formada pelo Centro Universitário do Sul de Minas (Unis-MG). Atuou em praticamente todos os órgãos de imprensa de Três Pontas (MG): TV Cidade, Rádio Três Pontas, Jornal Tribuna, Assessoria de Comunicação da Prefeitura Municipal, Jornal Correio Trespontano e agora está à frente do site Sintonizeaqui. Indicada para compor a equipe de assessoria de imprensa do Governo de Minas Gerais (2003/2010), optou por continuar em sua Terra Natal registrando os principais fatos e acontecimentos e, assim, ajudar a escrever a história do Município conhecido internacionalmente como a Capital da Música e do Café.