Qualidade de Vida / Saúde

Contra a Dengue – Vigilância Ambiental inicia limpeza em depósitos inadequados Trabalho conta com autorização judicial que permite entrada, até mesmo mediante força policial, em locais onde há resistência de morador, locatário ou dono

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS), por intermédio da Vigilância Ambiental, retoma na manhã desta sexta-feira (10) mais uma importante ação de combate à Dengue em Três Pontas, iniciada ontem.

Com o intuito de eliminar criadouros do Aedes aegypti, mosquito transmissor da doença, está sendo realizada a limpeza do quintal de uma residência na Rua Pernambuco, Bairro Santa Edwirges. No local, identificado como depósito há muito mais do que material a ser vendido e reaproveitado. Pneus, ferragens, peças de automóveis, restos de materiais de construção se misturam a lixo e até às carcaças de motos, caminhões e automóveis. O ambiente se mostra favorável à proliferação de ratos, baratas, escorpiões e, claro, do mosquito da Dengue. 

De acordo com o Médico Veterinário da Vigilância Ambiental, Marcelo de Figueiredo Gomes, em vários pontos da Cidade pessoas estão trabalhando com diversos materiais que podem ser, sim, reciclados. No entanto, a maneira está completamente errada, já que – além de misturar lixo, eles deixam a céu aberto recipientes que acumulam água, logo, se transformam em criadouros. 

“Num local como este aqui, fica impossível para os agentes de endemias fazerem a vistoria adequada. Nós não teríamos como descobrir os criatórios, se nós não removêssemos primeiro essa quantidade enorme de materiais acumulados diante da residência desse cidadão”, comenta o Médico Veterinário que acompanha toda a atividade.

Marcelo Gomes destaca que no Bairro Santa Edwirges, a exemplo de outras regiões da Cidade, existem muitos casos notificados de Dengue e que o número é crescente. O Município já assumiu, inclusive, viver uma Epidemia. 

A existência de depósitos – alguns irregulares – semelhantes ao trabalhado durante toda a quinta-feira e reiniciado agora há pouco se torna um dos grandes desafios no combate ao transmissor. Outro significativo obstáculo é o impedimento da vistoria.

Justiça expede documento que permite entrada da Vigilância Ambiental mesmo com resistência de proprietários

Guarda Civil Municipal e Polícia Militar deram apoio à ação

Guarda Civil Municipal e Polícia Militar deram apoio à ação

A Juíza da 2ª Vara Cível da Comarca trespontana, Dra. Aline Cristina Modesto da Silva, expediu um alvará autorizando os agentes de endemias a adentrar – se for o caso, com força policial – em residências, estabelecimentos comerciais, terrenos, enfim, locais onde existe a resistência dos proprietários, moradores ou locatários à visita de busca por criadouros do Aedes aegypti.

Há respaldo judicial também para a equipe retirar os objetos, realizando a limpeza, caso o acúmulo comprometa a saúde pública.

“Este documento é válido para atuação na Cidade de maneira geral e pretendemos fazer o uso dele com bom senso, tentando esclarecer o porquê da nossa atitude. A intenção não é multar, não é causar distúrbio na vida das pessoas. Nossa mira é sempre a saúde coletiva, então, não podemos permitir que uma situação individual – como esta aqui – prejudique a saúde dos vizinhos e até mesmo do próprio cidadão que está promovendo a circunstância de risco”, esclarece Marcelo Gomes.

Nem bem o alvará chegou à Vigilância Ambiental, já foi usado. O proprietário do depósito da Rua Pernambuco tentou impedir a ação. Diante da negação, a Polícia Militar e a Guarda Civil Municipal foram convocadas.

O dono chamou um advogado para o qual foi explicada a ação e apresentado o documento da Justiça. Segundo Marcelo Gomes, ele entendeu a necessidade e a validade da decisão. Assim, o trabalho é realizado, mesmo com o proprietário se mostrando – em vários momentos – irritado.

Todo o material é levado para um depósito da Prefeitura de Três Pontas. Posteriormente, o setor Jurídico Municipal fará avaliação para dar o destino adequado. A maior parte, assegurou o Médico Veterinário da Vigilância Ambiental, é lixo, portanto, ausente de valor comercial. Sem gravar entrevista, o dono do depósito, Donizetti Miranda, contradiz afirmando que o material está avaliado em R$ 50 mil.

A denúncia que chegou à SMS indicou que há dias o senhor não ficava no local, deixando apenas um cão acorrentado vigiando o depósito. Entre os vários focos do mosquito transmissor da Dengue localizados, um estava justamente em um recipiente grande utilizado como bebedouro para o animal.

“É impressionante o número de larvas da Dengue achado também em lonas que estavam encostadas no muro da residência”, finaliza Marcelo Gomes.

Atuam na ação de limpeza, servidores da Secretaria Municipal de Transportes e Obras e ainda reeducandos do Presídio local. A coordenação é do Médico Veterinário da Vigilância Ambiental e do Fiscal de Posturas, Leandro Vilela da Silva, o popular Mussum. Ele comenta que há 10 anos o Município tenta convencer o dono do depósito a adequar o espaço, conforme reivindicação também da vizinhança. Outra informação é que o cidadão nunca vende os materiais, espalhando principalmente carcaças de carros até mesmo na calçada.

Dengue

Em Três Pontas, neste ano, já são 525 casos suspeitos de Dengue e 89 confirmados. Uma morte por causa da doença foi confirmada e outra está sob investigação.

 

 

 

 

 

 

Notícia anterior

“Paulinho Beijinho” é atropelado por ônibus no Centro de Três Pontas

Próxima notícia

Farmácias de Plantão em Três Pontas

Arlene Brito

Arlene Brito

Jornalista formada pelo Centro Universitário do Sul de Minas (Unis-MG). Atuou em praticamente todos os órgãos de imprensa de Três Pontas (MG): TV Cidade, Rádio Três Pontas, Jornal Tribuna, Assessoria de Comunicação da Prefeitura Municipal, Jornal Correio Trespontano e agora está à frente do site Sintonizeaqui. Indicada para compor a equipe de assessoria de imprensa do Governo de Minas Gerais (2003/2010), optou por continuar em sua Terra Natal registrando os principais fatos e acontecimentos e, assim, ajudar a escrever a história do Município conhecido internacionalmente como a Capital da Música e do Café.