Esporte

“Escolinha” de Futsal do TOC proporciona vivência esportiva prazerosa e contribui para a condução de pequenos trespontanos à cidadania

Escolinha de Futsal do Trespontano Olímpico Clube TOC 1

Respeito à individualidade é uma das diretrizes da Escola de Futsal do TOC

Formar cidadãos por meio do esporte. Esta é uma das preocupações da Diretoria do Trespontano Olímpico Clube, em Três Pontas. Assim, o TOC oferece mais do que piscinas, quadras, campo e academia. A atenção aos sócios e à comunidade vai além dos ambientes para a prática esportiva, proporcionando aulas específicas com professores qualificados. 

Uma das modalidades disponibilizadas é o futsal. A Escola está sob a coordenação do Professor, Maique de Castro Rosa, desde 2009. Meninos de quatro a 12 anos compõem as turmas que treinam três vezes por semana.

De acordo com o Professor, o trabalho na tradicional Escolinha do TOC é diferenciado e não se limita a chegar e jogar. Há toda uma preparação, inclusive, motora. As cobranças excessivas não entram em quadra.

“Aqui o erro também é compensado. Para nós o importante é tentar fazer, é tentar executar o exercício porque o correto, o menino conseguirá realizar com o tempo”, explica Maique. A metodologia lúdica proporciona uma prática prazerosa na busca do aprimoramento dos fundamentos do futsal, sendo esta um dos principais objetivos da Escolinha.

Para incentivar a concretização da atividade, mesmo as complexas, o Professor mostra caminhos mais simples. Além disso, respeita as individualidades oferecendo, assim, o crescimento para todos. “Estamos sempre atentos à limitação de cada criança, motivando – como eu disse – o tentar. Se ela consegue, ótimo. Se não consegue receberá ainda mais apoio para uma hora chegar à execução do movimento”, reforça Maique. Ele esclarece que à medida que o aluno evolui, as cobranças aumentam, mas nada parecido com exigência além da capacidade ou algo semelhante à pressão.

Escolinha de Futsal do Trespontano Olímpico Clube TOC 3

Interatividade, socialização, laços de amizade também são frutos do trabalho que recebe total apoio da Diretoria do Clube

Paciência, atenção, respeito, motivação, socialização são ingredientes que fazem o ambiente salutar. O Professor observa que os alunos se tornam mais do que participantes de equipes. Há entre eles, vínculo. Os laços de amizade são mais um fator que leva a garotada a frequentar a Escolinha com naturalidade e satisfação e, não, com obrigatoriedade. Para atingir a interatividade e a afetividade, Maique reveza as crianças durante a composição das turmas.

Inevitavelmente, também a ele as crianças se apegam. Melhor assim porque o Professor – que preza pelo desenvolvimento dos alunos além do campo esportivo – tem abertura para falar de coisas que fazem parte do dia a dia, portanto, do crescimento humano e da formação cidadã. A importância da alimentação saudável, a busca do equilíbrio comportamental, o correr em busca de boas notas, o estudo em primeiro plano são alguns dos assuntos abordados por Maique, um fortalecimento em cima dos ensinamentos do lar.

Na Escolinha do TOC fabricar atletas foge à finalidade principal. O foco é mostrar que, como no futsal, o mundo tem suas regras. Então, através da vivência dos fundamentos do esporte, levar até a criança a busca pela vitória em todas as atividades da vida, porém, conscientizando cada um dos alunos que a derrota pode acontecer e que, por isso, é preciso estar preparado também para ela.

Todo final de ano é realizado o Campeonato Interno. Participam os alunos com menor idade e todos eles ganham medalhas. A tática é bloquear a desmotivação ou a desistência diante de desvantagens. Já as crianças com idades mais avançadas são inscritas em algumas competições que acontecem na Cidade justamente porque já sabem assimilar melhor possíveis perdas.

Escolinha de Futsal do Trespontano Olímpico Clube TOC 2

Para o Professor, Maique Rosa, importante é que alunos tentem realizar a atividade, o movimento. Fazer correto vem com o tempo

Filhos felizes, pais realizados. Os homens vibram com maior intensidade, mas as mulheres também acompanham com entusiasmo. Na arquibancada do TOC é muito comum ver as mães atentas aos treinos que incluem o chamado Coletivo, ou seja, um jogo entre os próprios alunos para finalizar o dia de atividades.

“Nossa meta é dar qualidade aos treinos e, inclusive, qualidade de vida para essas crianças e não colocá-las numa competição desacerbada. Temos o apoio total da Diretoria do TOC. O pessoal é muito aberto e nos mune de incentivo, material, enfim, é excelente o que o Clube faz. Aqui, o ambiente é saudável. Tem sombra, tem água, estrutura e funcionários de qualidade. É um lugar onde os pais deixam seus filhos na porta e vão embora tranquilos, com a certeza de que as crianças estão seguras”.

Completando a lista de apoiadores, Maique conta que anualmente as turmas estreiam uniformes. Assinam o patrocínio Clube da Casa Nova Era, Specialle Paneteria, CCAA e Sportway. O único problema, revela, é na hora da distribuição. A ‘10 de Neymar’, então, é uma das mais disputadas.

O Professor

Maique de Castro Rosa é Graduado em Educação Física pelo Centro Universitário do Sul de Minas (Unis-MG). Já integrou a equipe de profissionais das secretarias municipais de Esporte de Varginha e de Santana da Vargem. Atualmente ministra aulas no departamento da Prefeitura de Três Pontas e no TOC. A atuação dele está sempre voltada ao futsal e ao futebol.

Notícia anterior

Em TP, Vereadores rebatem afirmativas do Prefeito

Próxima notícia

Fãs se preparam para o adeus a Cristiano Araújo

Arlene Brito

Arlene Brito

Jornalista formada pelo Centro Universitário do Sul de Minas (Unis-MG). Atuou em praticamente todos os órgãos de imprensa de Três Pontas (MG): TV Cidade, Rádio Três Pontas, Jornal Tribuna, Assessoria de Comunicação da Prefeitura Municipal, Jornal Correio Trespontano e agora está à frente do site Sintonizeaqui. Indicada para compor a equipe de assessoria de imprensa do Governo de Minas Gerais (2003/2010), optou por continuar em sua Terra Natal registrando os principais fatos e acontecimentos e, assim, ajudar a escrever a história do Município conhecido internacionalmente como a Capital da Música e do Café.