Outros

“Me dá um dinheiro aí” – Compositor parte, clássico fica

Homero Ferreira Compositor de Marchas Carnavalescas 1

(Foto: Leonardo Aversa / Agência O Globo)

“Me dá um dinheiro aí” está no repertório da Banda de Marchinhas que, ao lado da Batucada Meninos da Vila, iniciou no final de semana o aquecimento do Carnaval 2015 na região urbana e no Quilombo Nossa Senhora do Rosário, em Três Pontas.

Também será tocada no Baile do Hawaii que acontece nesta sexta-feira (6) no “Estudantes do Samba” e, claro, no Palco “Clube Trespontano” que será montado na Avenida Oswaldo Cruz (em frente ao Taberna) como uma das atrações do Reinado de Momo na Cidade.

A música, indispensável nos dias de folia, foi escrita por Homero Ferreira a partir do bordão “me dá um dinheiro aí”, de um dos quadros escritos pelos irmãos Glauco e Ivan Ferreira para o programa “A Praça da Alegria” (TV Rio). Com ela, em 1960, Homero foi ao êxito como compositor de marchinhas de carnaval.

A marcha foi gravada inicialmente pelo cantor Moacir Franco, que fazia o papel do mendigo no referido programa, em disco lançado pela gravadora Copacabana em 1959. Em 1960 se tornou o maior sucesso do carnaval e se transformou em um clássico, sendo repetida ano após ano pelos foliões.

Segundo divulgação da Fundição Progresso, Homero nasceu em família de músicos, aprendeu a tocar violão ainda criança e desde jovem participava de serestas. Ele foi bancário por mais de trinta anos, profissão na qual se aposentou.

Sua primeira composição gravada foi a marcha “O que foi que eu fiz”, parceria com os irmãos Renato e Ivan, lançada em 1952 pela gravadora Carnaval, na voz de Geraldo Alves. Na mesma época o comediante Castrinho gravou também pela Carnaval a “Marcha do Patati-Patatá”, com Renato e Ivan.

Em 2006, Homero foi o vencedor do Concurso de Marchinhas Carnavalescas promovido pela Fundição Progresso com a marcha “Tá, Tá Muito Bom”, parceria com Chiquinho, um velho companheiro de boemia. A composição, feita há alguns anos e inscrita no concurso juntamente com mais 601 concorrentes ficou também conhecida como “Marcha do Viagra”.

Homero Ferreira faleceu, nesta segunda-feira (2), aos 86 anos. A causa da morte não foi divulgada pela família. O corpo do compositor foi sepultado no Cemitério São João Batista, em Botafogo, na Zona Sul do Rio.

(Fonte: G1.com)

Notícia anterior

Fla-Minas até além fronteiras

Próxima notícia

Associação Comercial firma convênio com o Grupo Unis e garante desconto nas mensalidades

Arlene Brito

Arlene Brito

Jornalista formada pelo Centro Universitário do Sul de Minas (Unis-MG). Atuou em praticamente todos os órgãos de imprensa de Três Pontas (MG): TV Cidade, Rádio Três Pontas, Jornal Tribuna, Assessoria de Comunicação da Prefeitura Municipal, Jornal Correio Trespontano e agora está à frente do site Sintonizeaqui. Indicada para compor a equipe de assessoria de imprensa do Governo de Minas Gerais (2003/2010), optou por continuar em sua Terra Natal registrando os principais fatos e acontecimentos e, assim, ajudar a escrever a história do Município conhecido internacionalmente como a Capital da Música e do Café.