Luto

Rita de Cássia da Luz, minha amada e saudosa mãe Homenagem e convite para Missa de Sétimo Dia

Rita de Cássia da Luz 1O que dizer de um nome tão santo e iluminado? Nós estávamos em uma fase tão feliz e alegre, que não dá pra acreditar.

Mãe, eu te amo demais. Sinto sua falta como nunca achei que pudesse sentir. É um vazio que esmaga e dilacera a alma. Você é a pessoa mais perfeita, linda e sábia do mundo. Por que me deixou? Acordar e não te ver com sua alegria e vontade de viver dói demais. Sua vaidade, amizade, confiança e companhia me tornavam completa. Ficar sem você é muito doloroso. Me perdoa se algum dia eu fiz algo errado, não era minha intenção.

Agora eu tenho uma mãe no céu, que vai zelar por mim com muito mais sabedoria e amor. Mãe igual a você nunca existirá. Eu não consigo entender porque você partiu, mas eu consigo perceber que eu tive a sorte de ter você como mãe por 23 anos e que foram intensos e suficientes pra perceber a mulher que você é e ter um espelho a seguir.

Sei que não me deixaria se fosse em más mãos. Até nisso você é perfeita.

Te amo do fundo do meu coração, o amor mais profundo e sincero do mundo. A dor é grande, fica a saudade e o sentimento de perda, mas a esperança de um dia te encontrar e te fazer sentir orgulho me dá forças pra continuar nesse mundo tão cruel. Vou cumprir meus objetivos e sei que você estará comigo nas minhas conquistas, pois sua missão conosco foi linda, tão pura e honrável.

Eu te amo. Muito.

Agradeço a todos pelo apoio e carinho, tanto na hora de tentar salvá-la, como após sua morte. Nunca saberei agradecer a vocês, amigos, que me carregaram no colo, assim como Deus está me carregando. Ver que minha amada mãe é tão querida me conforta muito. Obrigada também a esta jornalista, que de boa vontade me ofereceu para deixar uma linda homenagem à minha mãe querida.

Convido a todos para a Missa de Sétimo Dia da minha amada mãe, que será às 18h30min, na Igreja Matriz Nossa Senhora D’Ajuda, nesta sexta-feira (13).

De sua filha, Carol (“branquelice da mãe”, como você carinhosamente me chamava quando eu chegava em casa e você estava a me esperar).

Te amo, sempre.

Notícia anterior

Junto com Juninho - Rotaract Três Pontas promove Festival Cinematográfico beneficente

Próxima notícia

Máscaras é o tema do Sarau no Quintal desta quinta-feira

Arlene Brito

Arlene Brito

Jornalista formada pelo Centro Universitário do Sul de Minas (Unis-MG). Atuou em praticamente todos os órgãos de imprensa de Três Pontas (MG): TV Cidade, Rádio Três Pontas, Jornal Tribuna, Assessoria de Comunicação da Prefeitura Municipal, Jornal Correio Trespontano e agora está à frente do site Sintonizeaqui. Indicada para compor a equipe de assessoria de imprensa do Governo de Minas Gerais (2003/2010), optou por continuar em sua Terra Natal registrando os principais fatos e acontecimentos e, assim, ajudar a escrever a história do Município conhecido internacionalmente como a Capital da Música e do Café.