PoliciaisTopo

Bombeiros de MG têm novo aliado no combate a incêndios florestais Aeronave modelo Air Tractor possui capacidade para 3.000 litros de água

O Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais (CBMMG) tem investido em inovações e tecnologias já consolidadas como referências mundiais para reforçar as missões de combate aos incêndios florestais. Um exemplo disso é a utilização estratégica de anemômetros, aparelhos que aferem a velocidade e direção do vento, para compreender melhor a evolução dos focos e aprimorar o combate. Mas uma das novidades que tem contribuído para a otimização dos combates é o avião modelo Air Tractor, que tem capacidade para espargir três mil litros de água de forma fracionada ou apenas em um ponto específico.

A aeronave de origem norte-americana, fabricada no Texas, além de reduzir o tempo de combate na operação, gera mais segurança para as equipes em solo. O lançamento da água é administrado por um computador que ajusta a descarga nos focos de incêndio, controlando assim as chamas em determinados locais. Além disso, o avião facilita o combate em pontos de difícil e arriscado acesso para os militares.

Air Tractor tem capacidade para espargir três mil litros de água de forma fracionada ou apenas em um ponto específico (Crédito: CBMMG)

Este é o primeiro ano em que o Corpo de Bombeiros Militar loca horas de voo do Air Tractor para o combate às chamas, que anteriormente eram combatidas com o auxílio de helicópteros “bambi bucket” (cestos), com capacidade para 400 litros. A aeronave gera mais autonomia, otimiza a operação, tornando mais eficiente a atuação dos militares. Economicamente, o Air Tractor também se torna mais vantajoso que os helicópteros, uma vez que reduz o número de viagens e, consequentemente, a reposição de combustível.

Os helicópteros continuam sendo utilizados, sobretudo em focos mais pontuais e também na alocação de equipes em pontos estratégicos, como locais de relevo acidentado ou isolados devido às chamas. Essa atuação complementar, utilizando aviões, helicópteros e equipes em solo garante uma eficácia maior nas ações de combate, gerando mais segurança para as equipes e a extinção do incêndio em menor tempo, garantindo assim um menor dano aos biomas locais.

Grandes incêndios como o ocorrido em agosto deste ano, no Parque Nacional da Serra da Canastra, contaram com o apoio de dois aviões Air Tractor que realizaram o combate com água na Frente do Alto da Maria Concebida, reduzindo o tempo da operação e dinamizando o combate. Foi utilizado também no Parque Estadual do Ibitipoca, e será utilizado nos próximos incêndios florestais onde houver necessidade no estado de Minas Gerais.

Para essa atuação é necessária uma combinação de esforços do Batalhão de Emergências Ambientais (Bemad) e Batalhão de Operações Aéreas (BOA), duas unidades que compõem o Comando Especializado de Bombeiros. O Bemad faz avaliação da necessidade do empenho avaliando tecnicamente a utilização do equipamento com o recurso humano já existente, e o Batalhão de Operações Aéreas solicita o empenho da aeronave.

A efetividade da atuação no combate aos incêndios florestais, portanto, é o resultado de uma ação conjunta e integrada de várias unidades, e mais do que isso, é demonstração de força e abnegação de toda a tropa do CBMMG que se empenha por horas no exaustivo trabalho de debelar as chamas, driblando uma série de dificuldades e desafios que a missão propõe, pelo bem de nossa fauna, flora, parques e sobretudo da população mineira.

(CBMMG)

Notícia anterior

Três Pontas registra 10ª morte por Covid-19

Próxima notícia

Crianças e adolescentes devem ser levados ao posto de saúde durante campanhas de vacinação contra Poliomielite e outras doenças