Aqui Notícias de Três Pontas e regiãoUtilidade

Festival de Verão vai arrecadar fundos para cirurgia do trespontano Caio Arcanjo

Arlene Brito

Marginália, Banda Aloha, Grupo Morena e outros artistas de Três Pontas já garantiram presença no palco do Festival de Verão. É este o evento que agitará a cidade neste domingo (7) e que, além de diversão, irá trazer solidariedade. O encontro do público com a boa música será em prol da cirurgia de Caio Arcanjo.

A ideia lançada pelo Interact/Rotaract Club de Três Pontas foi abraçada por músicos e intérpretes que vão abrir mão do cachê e ainda pagar pela entrada. O empresário Tiago “Fofão” também aderiu ao movimento voluntário – que une lazer, cultura e ajuda ao próximo – cedendo a Barão da Gamboa para que o som de qualidade diferenciada role das 14 às 20 horas.

Os ingressos estão sendo vendidos na Hering e Vimmi Café, no Centro de Três Pontas, e poderão ser adquiridos também na portaria da Barão da Gamboa, no dia do Festival de Verão. Um custa R$ 15 e, promocional, quem comprar cinco pagará R$ 12 cada.

Cirurgia buscará estabilização de doença rara, a Ceratocone; despesa mínima será de R$ 11,2 mil

Iniciativas solidárias de amigos e conterrâneos emocionam o jovem estudante

Caio Arcanjo é estudante, tem 17 anos, e no próximo dia 10 será operado em Belo Horizonte. O procedimento, segundo ele, é fundamental para a estabilização da Ceratocone, uma doença que atinge a córnea, deixando o tecido cada dia mais irregular. A doença não tem cura, mas o paciente pode alcançar melhorias através de algumas ações médicas, sendo uma delas a cirúrgica.

Os primeiros sinais da Ceratocone surgiram em meados do ano passado, recorda Caio. “Eu estava em Guarulhos, na casa de um primo, quando percebi que minha visão não estava normal, que enxergava as coisas como se tivessem duas ao mesmo tempo. Depois, comecei a perceber, quando estava assistindo televisão, que não conseguia mais ler as letras ou pequenos textos que apareciam nas propagandas”. Foi aí que ele procurou o médico e foi diagnosticado com o distúrbio, raro conforme cita o Conselho Brasileiro de Oftalmologia. A ocorrência varia de 4 a 600 casos por 100.000 indivíduos.

“Às vezes não consigo reconhecer as pessoas, até mesmo quando estão do outro lado da rua. Quando me cumprimentam nem arrisco a falar o nome. Às vezes reconheço pela voz e geralmente quando a pessoa é muito conhecida”, revela Caio Arcanjo.

Se a intervenção não for feita agora, tudo indica que, no futuro, o jovem precisará se submeter a procedimentos mais delicados, por exemplo, o transplante de córnea. Caio comenta que está tranquilo em relação à operação, no entanto, um detalhe preocupa a ele e à família: as despesas. Somente a cirurgia ficará em R$ 11,2 mil, sendo R$ 5,6 mil o custo de cada olho. Além deste gasto, será necessário dinheiro para a viagem, colírio e outros medicamentos que o paciente vai precisar usar por um tempo.

A solidariedade trespontana

Caio Arcanjo está entre os talentos da música trespontana

O Festival de Verão é uma das iniciativas de ajuda a Caio que, aliás, tem estreita relação com a música. “A música é uma das coisas mais importantes da minha vida, uma coisa que eu amo infinitamente, que me faz bem, e meu objetivo é que todos se sintam felizes quando escutam a minha música, que gostem ao ponto de aliviar as ‘dores’ do dia a dia”, conta com entusiasmo.  

A solidariedade dos conterrâneos mexe com o estudante musicista. “Uma coisa que me impressionou muito é a bondade do nosso povo de Três Pontas. Assim que alguns amigos descobriram minha enfermidade já fizeram uma campanha e começaram a me ajudar nessa batalha. Serei eternamente grato a todos que de alguma forma estão me ajudando. Não existe maneira de agradecer suficientemente a essa galera maravilhosa daqui, aos músicos, aos amigos, enfim, a todos que estão contribuindo, que me dão energia positiva e orações”. 

Notícia anterior

Van capota e deixa feridos

Próxima notícia

Oportunidade de Emprego