DestaquesQualidade de Vida e Saúde para o trespontano

Outubro começa com movimento de prevenção ao câncer de mama no Clube da Casa Nova Era em Três Pontas

Arlene Brito

Marilda Tiso foi diagnosticada com câncer aos 36 anos; hoje integra grupo de apoio a pacientes e alerta para a importância do exame regular: mamografia

“Acho muito importante porque as pessoas têm que se conscientizar que o caminho é a prevenção”. A opinião é da trespontana Marilda Tiso e se refere à iniciativa do Clube da Casa Nova Era em promover na loja um bate papo sobre o Câncer de Mama. No sábado (6), diretoria e funcionários da empresa receberam integrantes do Grupo “Amigas Guerreiras” que passaram a manhã inteira conversando com clientes e outros convidados sobre a importância do diagnóstico precoce. “O câncer está se alastrando. A incidência em nossa cidade é alta e muita gente não se preocupa, morre porque não se toca, não vai ao médico regularmente, não faz a mamografia que é o exame mais importante na prevenção ao câncer de mama”, alerta. Marilda tem razão. Até o fim deste ano, 12 mil mulheres devem morrer no Brasil em decorrência da doença. O número corresponde a quatro mortes a cada três horas. A estimativa é do Instituto Nacional de Câncer (Inca).

Tiso veste a camisa das “Amigas Guerreiras” e conta que foi acometida pela doença aos 36 anos, grávida de gêmeos. Após o nascimento dos filhos, se submeteu a três cirurgias para a retirada das mamas; na terceira soube que o câncer estava nos braços. “Minha luta foi grande, mas eu venci. As pessoas não podem se desesperar porque o câncer tem cura para quem socorre rápido: precaução, consulta médica sempre”.


Sintonize mais: Superação – “Temos Que Nos Tocar Mais, Nos Amar Mais E Ir Ao Médico Porque Depois Pode Ser Tarde E Não Ter Mais Volta”


Diagnóstico precoce para um câncer “in situ” fez Ângela Miari Martins superar a doença e seguir com qualidade de vida

Graças à constatação precoce, Ângela Miari Martins tratou o câncer de mama e segue a vida com qualidade. A empresária revela que “levou um grande susto” quando recebeu o diagnóstico positivo e um certo alívio ao descobrir que o carcinoma era “in situ”, ou seja, não havia se espalhado; ela se deparava com o primeiro estágio da doença. “Encarei o desafio com otimismo e estou curada, mas não me descuido, estou sempre atenta”, diz Ângela que usa a experiência própria para encorajar, sobretudo, as mulheres. “Marque uma data, por exemplo, o dia do seu aniversário. Todo ano, se presenteie cuidando da saúde, fazendo um ‘check up’ e, claro, a mamografia”.

No evento de sábado, no Clube da Casa Nova Era, também uma equipe da Unimed Três Pontas estava a postos. Os profissionais aferiram a pressão arterial, realizaram testes gratuitos de glicemia e distribuíram informações impressas sobre o  assunto do dia. Em um dos materiais, o alerta: “a cada ano que passa, a responsabilidade aumenta”, lembrava que autoexame e mamografia são indispensáveis a partir dos 50 anos. Gentilmente, a equipe ofertou rosas a todos que passaram pelo ‘showroom’.

Para demonstrar solidariedade a todas as mulheres que enfrentaram ou enfrentam o tumor, a equipe feminina do Clube da Casa Nova Era usou lenço e maquiagem. Assim, elas enviaram a mensagem: autoestima elevada é essencial em qualquer situação porque também é caminho para a cura mental e física.

Vida Viva acolhe pacientes com câncer de Três Pontas e região e “merece também a nossa ajuda”

Marilda e Mirna durante entrega de cabelos doados à  Vida Viva; Associação acolhe pacientes com câncer de Varginha, Três Pontas, região

As “Amigas Guerreiras” explicam que no enfrentamento da doença, o apoio da família, dos amigos, de grupos de troca de experiências é fundamental. E aqui, elas destacam a importância do trabalho desenvolvido pela Associação “Vida Viva”, de Varginha. “Lá, o pessoal serve café, tem sala para descanso após as sessões de quimioterapia e radioterapia, há apoio psicológico, enfim, é um acolhimento fantástico e voluntário a centenas de pessoas que sofrem com o câncer”, começa Marilda Tiso.

Depois de citar que os trespontanos estão entre os pacientes confortados pelo Vida Viva, vem o pedido: “quem puder colaborar doando pó de café, leite, copos e guardanapos descartáveis deve entrar em contato o Grupo de Apoio Combate ao Câncer Amigas Guerreiras”. Um meio fácil de localização das integrantes é pelo Facebook, por exemplo, da fundadora do Grupo – a Cris Estética, da Marilda Tiso, da Gilvana Vieira, da Jerusa Silva, da Mirna Antunes…

O Vida Viva recebe ainda cabelos para a confecção de perucas para os pacientes oncológicos, além de lenços, toucas, cachecóis, roupas, calçados, mantimentos, produtos de higiene pessoal e de limpeza e diversos outros itens. As doações também podem ser entregues às Amigas Guerreiras de Três Pontas que elas encaminham para a Associação.

 

 

 

 

 

Notícia anterior

Comunicado da Justiça Eleitoral

Próxima notícia

Nossa Senhora Aparecida - Confira os horários de Missas nas Paróquias de Três Pontas neste 12 de Outubro