DestaquesOutros

Apae de Três Pontas inaugura padaria altamente qualificada Espaço comercial tem estilo, bom-gosto e variedades deliciosas

Há tempos, a Apae de Três Pontas implantou uma Oficina Profissionalizante voltada ao segmento “Padaria Artesanal”. O projeto, batizado de APÃEZINHOS, conquistou dezenas de trespontanos que passaram a encomendar com frequência várias delícias, tais como, casadinhos, amanteigados, roscas, bolos, enfim, o cardápio cresceu atendendo à demanda de cada período. As quitandas, saborosas e feitas com extremo rigor de higiene e segurança, podiam ser encontradas em bazares assinados pela instituição ou ainda na Loja da Apae compondo chamativa vitrine ao lado de artesanatos feitos pelas equipes multidisciplinares e usuários.  

Também há muitos anos, a instituição trilha o caminho da autossustentabilidade e, de olhares atentos à possibilidade de expansão desse projeto como fonte de renda e oportunidade para o especial público assistido, a Apae agiu novamente com empreendedorismo. Hoje, 24 de junho, inaugura a Padaria – APÃEZINHOS – “Espaço Comercial Ilda Chaves totalmente adequado à comercialização e até mesmo ao consumo “in loco” dos produtos: doces, biscoitos, salgados, cafés e muitas, muitas outras apetitosas receitas elaboradas e confeccionadas com acompanhamento de profissionais gabaritados e com vasta experiência na área de panificação.

Pela manhã, a superintendente da Apae de Três Pontas e 1ª diretora secretária da Federação das Apaes de Minas Gerais (Feapaes-MG), Maria Rozilda Gama Reis, recepcionou os clientes em clima de festa mas, claro, respeitando as medidas preventivas ao novo Coronavírus, tais como, uso de máscaras e distanciamento social. Em pleno Dia de São João, a decoração da Padaria ganhou toque juninho e comidas típicas – por exemplo, broa de fubá e pamonha – também disputaram preferências.

“Além da inclusão no mercado de trabalho, a APÃEZINHOS gera recursos para novos investimentos por parte da instituição”, explica a superintendente, Rozilda Gama

Visivelmente feliz e emocionada, Rozilda Gama, comentou que ali estava “a realização de um grande sonho”, um anseio que ela e toda a Apae de Três Pontas perseguiram por longas datas. O negócio-escola APÃEZINHOS começou em 2016 com a proposta de oportunizar experiência profissional à pessoa com deficiência, principalmente para o público de adolescentes, e consequentemente, aumentar no município a taxa de empregabilidade da pessoa com deficiência, sobretudo jovem. “Além da inclusão no mercado de trabalho, a Oficina APÃEZINHOS gera recursos para novos investimentos por parte da instituição”, explicou a superintendente.

Da Oficina de Culinária Artesanal ao projeto negócio-escola APÃEZINHOS e agora: a Padaria APÃEZINHOS, a Escola, o Centro Dia e o CER II foi, de fato, uma extensa jornada. A recente ampliação do serviço traz um novo estímulo, o de ofertar à comunidade um conceito diferenciado de panificação, mas a essência da iniciativa lá de trás será preservada. A Padaria continuará treinando os usuários para o mercado de trabalho e complementando a renda da Apae. “Os recursos serão utilizados integralmente para manutenção da Padaria e para investimentos em áreas que tiverem demanda dentro da instituição”, reforça Nuno Augusto Alves, gerente do Centro Especializado em Reabilitação Física e Intelectual – CER II da Apae de Três Pontas e Conselheiro Regional Sul II.

Para ele, a comunidade pode e deve prestigiar a Padaria APÃEZINHOS – “Espaço Comercial Ilda Chaves” e os sabores. “Temos uma proposta diferenciada de venda, de atendimento ao público – num misto de simplicidade, elegância, aconchego. Todo o processo, desde a fabricação dos produtos de panificação até a chegada às mãos do consumidor, existem todos os cuidados que a Apae toma na realização de cada um dos seus projetos. Posso assegurar que a Padaria APÃEZINHOS é ‘Tudo de Especial’ e altamente qualificada”, convida Nuno Alves.

“Espaço Comercial Ilda Chaves”

Dona Ilda Chaves Miranda Reis é a escolhida para nomear a Padaria da Apae de Três Pontas. Nascida no dia 16 de janeiro de 1925, em Três Pontas, filha de Braulino Ramos de Figueiredo e Maria Chaves de Figueiredo, Ilda teve sete irmãos: Irene, Indalma, Inês, Isabel, Ivone, Antônio e João. A infância foi vivida na Fazenda Caxambu e foi também nessa região rural onde iniciou os estudos. Mudou-se para a cidade, para o internato da saudosa dona Ruth. Na Escola Coração de Jesus formou-se no Magistério. Casando-se com Sebastião Garcia Reis, dona Ilda teve quatro filhos: Marialba, Marcos, Marilena e Marcelo e uma filha do coração, Aceli. Ao todo – no momento – são nove netos e quinze bisnetos. Dona Ilda vivia ora na Fazenda Pedra Branca, ora em Três Pontas, onde tinha uma casa em bairro central, conhecido como “Sapolândia” e dois irmãos, Ivone e João como vizinhos. Mesmo ficando viúva bastante nova, Ilda Chaves nunca abriu mão em ajudar os familiares e muito cedo deu início à sua jornada como voluntária em entidades filantrópicas de Três Pontas, tais como a Apae, o Hospital São Francisco de Assis e ainda auxiliou em obras da Paróquia Nossa Senhora d’Ajuda. Fé, humildade e colaboração são o tripé da existência desta distinta senhora.  

A Padaria – APÃEZINHOS – “Espaço Comercial Ilda Chaves– fica na Rua Barão da Boa Esperança, 420 – Centro de Três Pontas, funcionando de segunda a sexta-feira, das 6 às 18 horas. O telefone é (35) 3265-1127.

(Fotos: Apae de Três Pontas)

Notícia anterior

Coronavírus – Secretária de Saúde de Três Pontas pede isolamento social pelos próximos 40 dias

Próxima notícia

Câmara de Três Pontas - Plenário aprova oito Projetos na penúltima sessão de junho