OutrosUtilidade

Dia Nacional da Adoção – Apenas 5.060 crianças estão disponíveis para adoção no Brasil

Estatísticas do Sistema Nacional de Adoção e Acolhimento (SNA) do Conselho Nacional de Justiça mostram que existem apenas 5.060 crianças disponíveis para adoção no Brasil, dentro de um universo de 33.900 que vivem em 4.295 abrigos. Outras 2.705 já estão em aproximação com famílias adotivas, o que significa que 26.116 ainda vivem em um limbo jurídico – nem estão disponíveis para adoção e nem voltaram ainda para suas famílias biológicas.

A urgência em analisar a situação dessas crianças e adolescentes é um dos principais pontos para debate no Dia Nacional da Adoção, comemorado nesta segunda-feira, 25 de maio.

O cenário melhorou muito desde o ano passado, quando o SNA substituiu o Cadastro Nacional de Adoção e o Cadastro Nacional de Acolhimento, que incrivelmente não eram integrados e nem atualizados com frequência. Na época não era possível sequer precisar a quantidade de acolhidos – estimava-se algo entre 32.000 e 40.000. Agora as informações são mais precisas e transparentes, mas esse limbo jurídico ainda precisa ser extinto.

Na outra ponta estão 36.442 pretendentes a pais adotivos já habilitados pela Justiça, que poderiam zerar a fila, sendo que existem candidatos suficientes para a maioria das faixas etárias. Ou seja, quanto mais rápido a Justiça analisar todos os processos das crianças em acolhimento, mais rapidamente elas serão inseridas de volta em suas famílias biológicas ou enviadas a famílias adotivas.

Ana Paula Corrêa Boni e o esposo Pedro Veloso Boni, de Três Pontas (MG) esperam por Bella (Crédito: Maíra Martins)

Para se ter uma ideia, existem apenas 693 crianças de 6 a 9 anos disponíveis, enquanto 3.960 pretendentes estão dispostos a adotar as menores de 8 e 1.290 as menores de 10. A proporção dá e sobra para todas as 693 terem um final feliz. O mesmo acontece em todas as faixas etárias menores: 10.270 candidatos aceitam menores de 6 anos (só existem 725 disponíveis), 12.260 menores de 4 e 7.730 menores de 2 anos, enquanto são somente 968 até 3 anos.

A situação só piora para a partir dos 9 anos. De 9 a 12 anos são 798 crianças disponíveis para 470 candidatos; de 12 a 15 são 982 para 230 que aceitam menores de 14 anos e 106 que aceitam menores de 16 anos; e de 15 e 18 são 987 para apenas 124 candidatos.

O cenário brasileiro da adoção vem melhorando ano após anos graças à iniciativa de juízes como Iberê de Castro Dias e ações que incentivam a adoção tardia, como Adote um boa noite (TJ/SP), Esperando por você (TJ/ES) e Adote um torcedor (TJ/PE). Falta resolver somente este ponto da situação jurídica para ficar perfeito.

Mesmo durante a quarentena a Justiça está permitindo a abertura de processos de habilitação de pretendentes à adoção. Somente as visitas aos abrigos para aproximação foram suspensas.

Os interessados em saber mais sobre o assunto podem acessar o site www.adocaobrasil.com.br.


Sintonize mais: Adoção, Um Encontro De Almas – Família De Três Pontas À Espera De Bella


1º Congresso Adoção Brasil contará com palestras e entrevistas 

Em comemoração ao Dia Nacional da Adoção, o portal www.adocaobrasil.com.br preparou uma série de atividades para os interessados no assunto. A programação do 1º Congresso Adoção Brasil, totalmente gratuita, começa nesta segunda-feira (25), às 17 horas, com uma Live que reunirá os cineastas Roberto Berliner e Ana Amélia Macedo, da série Histórias de Adoção, veiculada no canal GNT; a psicóloga Lilian Nahon, que atuou na ONG “Médecins du Monde”, em Paris, França,no Departamento de Adoção Internacional, no setor do Brasil. Esse setor se reportava diretamente com as CEJAIs de cada estado do Brasil e na Central em Brasilia; a jornalista Ana Davini, autora do livro Te amo até a Lua, focado no tema; e os empresários Wagner e Grazyelle Yamuto, fundadores do Adoção Brasil. A mediação ficará por conta da publicitária e especialista em marketing digital Deborah Katz (@deborahkatz).

“Contamos os dias para esse encontro. A ansiedade da espera chega a doer, mas acreditamos que no tempo certo ela virá para os nossos braços” (Ana Paula Boni – Crédito: Maíra Martins)

De terça-feira, 26/5, a sexta-feira, 29/5, serão exibidas entrevistas, sendo a primeira com o trio de cineastas Beatriz Duarte, Guilherme Dogo e Matheus Meirelles, do documentário “Hoje eu vou embora”, que mostra as angústias e planos de adolescentes brasileiros que vivem em abrigos. Na sequência virão Sandra Quintino, psicanalista especializada em adoção, e os casais Gilson Silva e Silvia Fructuoso e Bianca e Bárbara Grecco.

Os links para a palestra e as entrevistas serão publicados no perfil de Instagram @adocao_brasil.

(Fonte: Ana Davini/Fotos: Maíra Martins)

Notícia anterior

Campanha em prol da Santa Casa de Três Pontas. Vamos ajudar!

Próxima notícia

Deputado Diego Andrade recebe alta de hospital onde se tratava de Covid-19