Qualidade de Vida e Saúde para o trespontano

Jovens de 20 a 29 anos formam público-alvo da Campanha contra o Sarampo que começa segunda-feira em todo o País

Atenção jovens de 20 a 29 anos. Na próxima segunda-feira (18) começará uma Campanha de Vacinação destinada especialmente a vocês, que são considerados pelo Ministério da Saúde um dos grupos de maior vulnerabilidade a uma doença altamente contagiosa e que pode matar: o Sarampo.

A Campanha acontecerá em todo o Brasil até 30 de novembro, tendo como público-alvo os jovens que não estão em dia com a vacina. Em Três Pontas, todas as unidades básicas de Saúde já estão preparadas para o trabalho preventivo, conforme registra a coordenadora do Programa Nacional de Imunização (PNI) no setor de Epidemiologia da Secretaria de Saúde de Três Pontas, Lara Miranda Silva.

Parte também da coordenadora o lembrete: “é muito importante levar a Carteira de Vacinação porque se houver outras vacinas em atraso, os profissionais da Saúde colocarão as doses em dia”. Lara Miranda informa ainda que os trespontanos devem procurar as unidades básicas de Saúde das 7 às 17 horas, de segunda a sexta-feira, destacando que no sábado, 30 de novembro, também haverá vacinação contra o Sarampo, neste mesmo horário – será o Dia D da Campanha.

Campanha Contra o Sarampo para jovens de 20 a 29 anos será realizada de 18 a 30 de novembro (Foto: Divulgação)

Etapa

Esta será a segunda fase da Campanha Nacional Contra o Sarampo 2019. A primeira, em outubro, priorizou as crianças de 6 meses a cinco anos incompletos. “Em Três Pontas foi uma Campanha de bons resultados”, comemora a coordenadora Lara Miranda, confiante de que também os jovens atenderão ao chamado, atentos para a importância da vacinação como aliada à qualidade de vida.

Vacinar é preciso

A única maneira de evitar o Sarampo é com a vacina, que é oferecida de graça pelo Sistema Único de Saúde (SUS). A doença é transmitida pelo ar através da fala, espirro, tosse. Altamente contagioso, o Sarampo não tem tratamento e pode deixar sequelas e até levar à morte.

A enfermeira Lara Miranda explica que cerca de 10 a 12 dias após a exposição ao vírus do Sarampo, a pessoa começa a apresentar sintomas: febre, tosse, corrimento nasal, olhos inflamados. Depois, surgem os sinais de Koplik que são pontos brancos na boca, seguidos de manchas vermelhas que se espalham pelo corpo. “O Sarampo em si não tem tratamento, então, é preciso tratar os sintomas”, reforça, e complementa: “a cegueira, inflamação do cérebro e pneumonia estão as complicações do Sarampo”.

Ministério da Saúde cita algumas consequências do Sarampo: pneumonia, dano cerebral permanente, nascimento prematuro e outras

Casos

Em 2016, o Brasil recebeu da Organização Pan-Americana de Saúde (Opas) o certificado de Território Livre do Sarampo. Três anos depois, a enfermidade voltou e os surtos fizeram o país perder a declaração dada pela Opas. “Uma mudança radical em pouco tempo, que se relaciona com o sucesso – e a posterior falha – nos níveis de imunização”, elucida a jornalista Talita Bedinelli, do El País. Em 2019, o Brasil já registrou quatro mortes decorrentes do Sarampo.

Minas Gerais se encontra em surto ativo da doença. De acordo com o último Boletim Epidemiológico divulgado pela Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG)  desde o início do ano foram confirmados 74 casos. Os jovens de 20 a 29 anos lideram entre esses pacientes mineiros: 19 confirmações. 

Ao todo, 229 municípios de Minas notificaram 1688 casos suspeitos. Destes, 1158 (68,6%) foram descartados e 460 (27,3%) estão em investigação.

Notícia anterior

Fogo destrói estruturas do sobrado histórico Conde Prates, em Poços de Caldas

Próxima notícia

Menino de 7 anos lança livro em Três Pontas e dá exemplo de solidariedade