Qualidade de Vida e Saúde para o trespontano

Saúde em risco – Menos da metade das crianças menores de 5 anos foram vacinadas contra a Poliomielite em TP

Até o momento, 1.119 doses foram aplicadas em crianças de Três Pontas durante a Campanha Nacional de Vacinação Contra a Poliomielite, que está em andamento e vai até o dia 30 de outubro. O montante representa 40,02% de cobertura vacinal, menos da metade da meta estipulada. O Ministério da Saúde orienta que o município vacine 95% da população na faixa etária foco do movimento preventivo, ou seja, crianças menores de 5 anos.  Em Três Pontas, elas são 2.796.

Conforme o levantamento feito pelo Programa Nacional de Imunizações (PNI) na cidade, 314 crianças de um ano foram vacinadas; outras 268 de dois anos; 267 de três anos e 270 de quatro aninhos também já estão protegidas contra a Poliomielite.

A gotinha que salva: leve seu filho menor de 5 anos para se vacinar contra a Poliomielite (Crédito: SMS)

“Olhar para esses pequenos e saber que eles têm tudo para crescer saudáveis nos traz a sensação de alívio. A Paralisia Infantil é uma doença grave e tão simples de ser evitada: basta a rápida gotinha e pronto, a criança está imunizada, livre de possível contaminação”. Quem se mostra feliz com a atitude responsável dos pais que já levaram seus filhos até o posto de saúde, assegurando a essas crianças o direito a um futuro vigoroso, é a enfermeira Lara Miranda da Silva, coordenadora do PNI em Três Pontas.

Feliz por um motivo, preocupada por outro: 2.677 crianças trespontanas ainda precisam ser vacinadas contra esta mesma doença, a Poliomielite. Para Lara Miranda, falta comprometimento dos responsáveis por essas meninas e meninos que podem (e devem) crescer fortes, mas que – para isso – dependem de um cuidado que precisa começar agora, na sala de vacinação.

“Nossa expectativa é que os senhores pais, avós – enfim, os responsáveis – se conscientizem que a vacina é necessária, é um direito fundamentado da criança e é de graça. Esperamos que até o final do mês Três Pontas alcance o índice determinado pelo Ministério da Saúde. Se isso acontecer, nossa alegria será completa porque lançaremos em nossos relatórios: meta cumprida! Nossas crianças estão protegidas”, destaca a coordenadora Lara, em tom de convocação.

Finalizando, ela comenta que é preciso apresentar a Caderneta de Vacinação da criança e que, nessa Campanha Nacional, doses em atraso contra outras doenças também estão sendo aplicadas em crianças e adolescentes menores de 15 anos.

Em Três Pontas, as salas de vacinação das unidades básicas de saúde ficam abertas das 7 às 17 horas, de segunda a sexta-feira. Todas as medidas de proteção ao novo Coronavírus são adotadas para afastar o risco de contágio tanto dos trabalhadores da saúde quanto da população.

Em Três Pontas, 2.677 crianças ainda precisam ser vacinadas contra a Paralisia Infantil (Crédito: SMS)

 

 

Notícia anterior

Criança de um ano tem 30% do corpo queimado em acidente doméstico

Próxima notícia

Associação Comercial convida empresas e clientes negativados para a segunda edição da Campanha Acertando suas Contas