Outros

Viagem de “Juninho” para os Estados Unidos deve ser marcada em 72 horas Segundo a Justiça, Governo Federal tem até a meia noite de quarta-feira para agendar o embarque do adolescente que precisa se submeter a transplante de intestino em Miami, nos EUA

Junto com Juninho 2

Trecho do despacho publicado na página Junto com Juninho, em rede social

Setenta e duas horas a contar desta segunda-feira (25). É este o prazo que o Governo Federal tem para marcar a data da viagem de Antônio Gleiber Cassiano Júnior, 16 anos, aos Estados Unidos.

A determinação é da Justiça Federal da 5ª Vara Cível de São Paulo. O despacho foi assinado pela Juíza, Alessandra Pinheiro Rodrigues D’Aquino de Jesus, que ordenou ainda que o embarque seja realizado em até 15 dias. Caso contrário, a União pagará R$ 300 mil por dia de atraso.

“Juninho”, como o rapaz é conhecido em sua cidade natal, Campos Gerais – no Sul de Minas – foi diagnosticado em setembro de 2014 como portador da Síndrome do Intestino Ultracurto. A doença fez com que ele perdesse 95% do intestino delgado e para continuar vivo o jovem precisa do transplante a ser feito em Miami. Desde então, o adolescente espera, ansioso, pela cirurgia.

Em outubro do ano passado, ele foi internado no Hospital Pequeno Príncipe, em Curitiba (PR), onde ainda permanece. Para a alimentação que Juninho recebe – a  chamada parenteral (apenas por veias) – apenas 4 veias podem ser usadas e só resta uma, fato que amplia significantemente a aflição do paciente e da família. 

Junto com Juninho 1

Transplante é a única chance que o “mineirinho” tem de sobreviver à Síndrome

Sem condições de arcar com as despesas da viagem e do transplante, os pais de Juninho entraram com ação na Justiça para que o Governo Federal pagasse a cirurgia e salvasse a vida do adolescente. O Ministério da Saúde recorreu, alegando que o tratamento poderia ser feito em dois hospitais credenciados aqui mesmo no Brasil. Um dos advogados da família argumentou, no entanto, que nas instituições indicadas pela União apenas cinco ou seis casos semelhantes foram acompanhados e nenhum dos pacientes sobreviveu ao tratamento.

Em 10 de abril, a Justiça decidiu que o Ministério da Saúde deveria arcar com a cirurgia e todas as despesas de Juninho no exterior, estimadas em mais de R$ 3 milhões.

Agora, na dolorosa caminhada, Juninho conseguiu mais um importante passo e pode estar bem perto de realizar o sonho… de vida!

 

Notícia anterior

Inscrições para o Enem 2015 começam nesta segunda-feira

Próxima notícia

Conservatório de Música busca caminhos para atendimento adequado aos alunos com Deficiência Intelectual