PoliciaisUtilidade

Estelionato – Polícia Militar dá dicas para que você não caia em golpes por telefone

O número de estelionatários praticando golpes por telefone teve um aumento nos últimos meses. Estelionato é um golpe praticado com objetivo de obter vantagem ilícita em cima de outra pessoa, lhe oferecendo uma falsa concepção de algo e induzindo as pessoas ao erro. O perfil clássico desses criminosos é a simpatia, educação e envolvimento com a pessoa; seus discursos são cada vez mais criativos e a principal consequência do golpe é a perda de objetos ou de dinheiro por parte da vítima.

A principal consequência do golpe é a perda de objetos ou de dinheiro por parte da vítima (Imagem: Ilustrativa Net)

As formas de abordagem dos golpistas por meio de ligações telefônicas são diversificadas e mudam muito rapidamente. Ao receber uma ligação de origem duvidosa, a Polícia Militar orienta que nunca seja passada nenhuma informação ou dado pessoal, informações sobre a sua rotina ou de algum familiar, conta de banco ou senhas.

Recuse fazer operações, como recadastramento de alguma instituição ou empréstimos bancários por telefone, principalmente quando há a necessidade de um depósito imediato, pois nesses tipos de procedimentos, são requisitadas informações importantes, que devem ser mantidas em segurança.

Para ligações em que há um suposto sequestro, não se devem combinar encontros, fazer negociações, nem efetuar transferência ou depósito bancário antes de fazer contato com o familiar a fim de confirmar a situação.

Recomende a familiares para não passarem quaisquer dados e verificarem a procedência do contato. Na ocorrência de alguma situação de possível golpe, comunique a Polícia Militar a circunstância gerada no ato da ligação.

(Assessoria de Comunicação da 151ª Cia de PMMG)

 

Notícia anterior

Três Pontas - PF faz operação contra suspeito de fraudar auxílios emergenciais e invadir celular de presidente da Caixa

Próxima notícia

Polícia Militar de Três Pontas arrecada alimentos para famílias carentes em apoio ao UniSocial