DestaquesOutrosTopo

Primeiro caso de cura de Doença de Chron no mundo completa dois anos. Atribuída a Padre Victor, volta do paciente à normalidade é comemorada em Três Pontas

“Há dois anos eu vivencio esta raridade. Graças a Deus estou firme e meus exames continuam apresentando cura. Minha vida está totalmente mudada. Hoje tenho uma vida normal e sou um vencedor nesta pandemia. Se a Covid-19 tivesse me acometido na época da Doença, com toda certeza, já não estaria mais aqui. Sou pura gratidão”.

O relato cheio de alegria e reconhecimento vem do trespontano Willian Rosa de Oliveira. Domingo (4), ele comemorou seu renascimento, ocorrido há dois anos. E, claro, teve festa de aniversário. Respeitando as medidas sanitárias e de distanciamento social, exigidas no momento,  ele – acompanhado da mãe, dona Lia Rosa – serviu 1.800 pedaços de bolo para familiares, amigos, vizinhos, enfim, para muita gente que acompanha a trajetória vitoriosa do rapaz. Equipe do Pronto Atendimento Municipal (PAM) e idosos da Vila Vicentina também foram presenteados com o alimento que atraiu olhares e encantou pela personalização e fino sabor.

Willian Rosa presenteia Vila Vicentina e PAM com os bolos personalizados 


A cura de Willian não tem embasamento científico, ou seja, não é explicada pela medicina, mas é apontada como a primeira no mundo e por intercessão do Beato Padre Victor, de quem é devoto, apego herdado de dona Lia. Por sete anos, o trespontano sofreu com a Doença de Chron. Dores, vômitos, sangramentos, hospitalizações recorrentes impediam que Willian estudasse ou trabalhasse formalmente. Parte da juventude ele passou à base de remédios com altíssimas dosagens.

Prestes a desistir de tudo, o rapaz, então com 25 anos, experimentou o medicamento que o colocou de volta nos trilhos da existência significativa. Ao deixar o Pronto Atendimento, após a 79ª crise do ano 2019, foi encorajado pela mãe. Devota fervorosa de Padre Victor, dona Lia Rosa, pressentiu: “tem que ser agora, meu filho não aguenta mais carregar tamanha cruz”. Apoiados por um amigo, eles foram até a “Mina” onde clamaram pela cura e onde, confirmam pela fé inabalável, Willian deixou a Doença de Chron e todas as enfermidades oportunistas.

Dona Lia Rosa testemunha cura do filho Willian que, na foto, aparece na Mina onde bebeu água pedindo a intercessão do Beato Padre Victor


Desde então, Willian, que tem 27 anos completados em maio, se mantém assintomático do quadro intestinal e os exames apontam para a normalidade comemorada, inclusive, por médicos que acompanharam o longo período da doença devastadora que provocava incontáveis danos físicos e emocionais.

O caso desperta a “curiosidade” de estudiosos de diversas localidades e foi registrado na Associação Padre Victor de Três Pontas. “Para mim e para meus médicos é um milagre, e eu precisava testemunhar a bondade de Deus que recaiu sobre mim pelas mãos do nosso Beato”, destaca o possível miraculado.

Padre Victor

Padre Victor é um religioso nascido em Campanha (MG), que foi pároco em Três Pontas por 53 anos. Ele passa pelo Processo de Canonização e, creem os devotos, se tornará o primeiro Santo negro do Brasil. Para isso, é preciso a comprovação do segundo milagre atribuído ao Beato. O primeiro foi reconhecido em Decreto assinado pelo Papa Francisco em 2015. O fato extraordinário aconteceu com a professora Maria Isabel de Figueiredo, que realizou o sonho de engravidar de forma natural, sem tratamentos, embora a possibilidade já tivesse sido descartada pela medicina. Hoje, Isabel tem duas filhas.

Capela do Beato Padre Victor no interior da Matriz Nossa Senhora d’Ajuda, em Três Pontas


 Sintonize mais:

01) Trespontano Comemora Um Ano De Cura Atribuída À Intercessão De Padre Victor

02) Eu Sou Um Caso De Milagre, Relata O Trespontano Willian Rosa, Atribuindo Cura À Intercessão Do Beato Padre Victor

03) Revelado O Milagre Por Intercessão De Padre Victor

 

 

Previous post

Cultura - “Tanto pra Chegar” é a vencedora do Festival “Canto Aberto” e Elis Theófilo entra para a história do Festival “Da Casa” como bicampeã, agora com “Perambulando”

Next post

Associação Comercial de Três Pontas: agente integrador e transformador para o fortalecimento da economia local