Educação, Cultura e Lazer em Três Pontas

Alunos da Escola Jacy Gazola de Três Pontas lançam foguete de garrafa PET, ficam entre os melhores do país e buscam patrocínio para Jornada Nacional

Segunda-feira, 2 de setembro, ou seja, daqui a exatos 30 dias. Este é o prazo máximo para Ana Luisa Pereira Arantes e Miguel Lopes Bueno solicitar o boleto de pagamento e ter em mãos R$ 3.100,00 – caso contrário, eles correm um enorme risco de dizer adeus à participação na Jornada de Foguetes. O evento acontecerá de 5 a 8 de novembro, em Barra do Piraí (RJ).

Alunos da Escola Estadual “Prefeito Jacy Junqueira Gazola”, Ana Luisa e Miguel trabalharam duro por várias semanas. Após muita pesquisa, montaram base com tubos de PVC e confeccionaram 18 foguetes com garrafas PET. As “máquinas” foram distribuídas entre colegas que compuseram outras equipes, também inscritas na 13ª Mostra Brasileira de Foguetes (MOBFOG). Depois, todos foram ao Parque Multiuso, confiantes de que alcançariam a meta: pelo menos um desses foguetes deveria superar a marca de 100 metros de distância da base de lançamento. E a dupla conseguiu. Os experimentos começaram às 8 da manhã e já passava das 13 horas quando, na última tentativa, o foguete se deslocou veloz e obliquamente por 113 metros.

Turma do Jacy Gazola no dia do lançamento do foguete, no Parque da Mina, em Três Pontas

Assim, os dois jovens trespontanos foram convidados para a Jornada que, segundo os organizadores, reunirá estudantes e professores do Ensino Médio de todo o país. Em um hotel fazenda em Barra do Piraí, Ana Luisa e Miguel terão a oportunidade de apresentar o projeto, inclusive respondendo a perguntas, esclarecendo dúvidas de educadores. Também poderão realizar até dois lançamentos e se entrarem para a lista dos melhores resultados, receberão medalhas, além do Certificado de Participação. Oficinas e palestras constam na programação do disputado acontecimento.

“A carreira científica não é muito atrativa pelas suas dificuldades orçamentárias e experimental. Além disso, vivemos em uma cidade do interior onde as oportunidades são ainda mais limitadas. Então, estar na Jornada de Foguetes, um evento nacional, é uma troca muito rica, é chance de adquirir e de compartilhar vivências e conhecimento”, analisa Hudson Borges Andrade. Orientador de Ana Luisa e Miguel, o professor de Física completa, afirmando que a Jornada inspira e abre caminhos para novos desafios e para outros eventos científicos realizados no Brasil e internacionalmente.

Professor de Física na Escola Jacy Gazola, Hudson Andrade analisa que participar da Jornada de Foguetes trará conhecimento para a vida inteira dos alunos

Miguel tem 15 anos, cursa o 1º ano do Ensino Médio e Ana Luisa está com 17 anos, integrando uma das turmas do 3º ano também do Ensino Médio da Escola Jacy Junqueira Gazola. Eles recordam que por cerca de três meses mergulharam fundo no projeto. Para transmitir uma ideia do envolvimento, relatam o “pico”: por duas semanas os dois passaram 8, 9 horas calculando, estruturando, enfim, buscando a melhor base, o melhor foguete, os melhores “combustíveis” à base de vinagre e bicarbonato de sódio. No entanto, destacam, antes dos incontáveis testes, se dedicaram à pesquisa que envolveu Física, Matemática, Química e até consultas na área da Engenharia. De forma mais intensa, no dia do lançamento, relembram, tiveram que lidar com improvisos, com erros e frustrações. Base sem firmeza, estouro de manômetro e de cano de PVC foram alguns obstáculos que exigiram ação rápida, desdobramento.

Para Miguel, participar da Mostra Brasileira de Foguetes tem sido uma “experiência incrível”. O aluno, através das atividades, compreendeu que disciplinas – tantas vezes rejeitadas pela classe estudantil devido à rotina de cálculos em sala de aula – podem ser aplicadas na prática de uma maneira bem prazerosa, que são fundamentais e presentes no nosso dia a dia mesmo que não tenhamos essa consciência. “Tomei gosto por tudo isso”, afirma. Em relação à Jornada de Foguetes, Miguel está ansioso por acreditar que no evento ampliará o aprendizado e conhecerá pessoas “que podem nos levar para outros mundos”.

Ana Luisa concorda e também segue confiante. “Vamos sair de lá campeões”, almeja a garota que tem rodado o comércio e empresas da cidade em busca de apoio financeiro para que o sonho seja concretizado.

“Os alunos estão de parabéns. Eles passaram tempos longe de casa, longe de amigos, tiveram que se abdicar da convivência com familiares, de namoro, do lazer e estão colhendo os frutos: participar da Jornada; então, será gratificante irmos e lutarmos pelo campeonato. Acredito que o evento em si, eles nunca vão esquecer como alunos, como pessoas, pelo lado científico e experimental”, completa o professor Hudson.

Cedup, Vimi, Propague Brindes, Lojas IM abraçam a causa… quem mais?

Até o momento, Ana Luisa, Miguel e Hudson conquistaram patrocínio do Cedup, da Propague Brindes e ganharam da Vimi Cafeteria uma torta para ser rifada. As Lojas IM também se propuseram a ajudar. 

Ainda falta muito para o montante necessário e tem um detalhe: as vagas estão sendo reservadas mediante o pagamento. Portanto, quanto antes os trespontanos solicitarem e quitarem o boleto asseguram a participação.

Novo desafio para Ana Luisa, Miguel e professor Hudson é arrecadar R$ 3,1 mil para defender o projeto, a escola, a cidade e MG na Jornada de Foguetes 2019

Jacy Gazola detém o Vice-Campeonato da Jornada de Foguetes 2018

A Jornada de Foguetes é vinculada à Mostra Brasileira de Foguetes e organizada pela Olimpíada Brasileira de Astronomia (OBA). A Escola Estadual Prefeito Jacy Junqueira Gazola participa da Mostra há cinco anos. Em 2018, a instituição de ensino esteve pela primeira vez em Barra do Piraí, representada pelo aluno Bryan. Lá, ele conseguiu lançar o foguete a 126 metros de distância da base, trazendo para Três Pontas o Vice-Campeonato.

De acordo com Hudson Andrade, foi possível contar nos dedos de uma mão as cidades mineiras participantes. “Três Pontas, o estado de Minas Gerais têm a oportunidade de estar na Jornada pela segunda vez. Nos sentimos lisonjeados em sermos este instrumento”, registra. Ainda de acordo com o professor, a maioria representava institutos federais e escolas particulares, o que aumentou o mérito do aluno da rede pública estadual de Três Pontas.

Na estreia na Jornada de Foguetes, em 2018, E.E. Pref. Jacy Junqueira Gazola conquistou o Vice-Campeonato

Ao saber do envolvimento de Ana Luisa e Miguel no projeto 2019, Bryan, acompanhado do pai, deu dicas valiosas. O professor de Matemática, Francisco, também – então, foram fundamentais para o sucesso da dupla estreante. Além deles, a diretoria da Escola e os pais dos alunos apoiaram. O famoso “paitrocínio” possibilitou a compra de materiais para base e foguete.

Sequência de eventos aproxima alunos e professores das ciências espaciais

A Olimpíada Brasileira de Astronomia (OBA), que está em sua 22ª edição, é coordenada por uma comissão formada por membros da Sociedade Astronômica Brasileira (SAB) e da Agência Espacial Brasileira (AEB) e conta com o apoio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), da Universidade Paulista (Unip), da Avibras e da Visiona.

Além de ter crescido ao longo dos anos, a OBA se multiplicou. Dentro da Olimpíada foi criada a Mostra Brasileira de Foguetes (MOBFOG). Também nasceram as Jornadas Espaciais, as Jornadas de Foguetes, os Acampamentos Espaciais e os Encontros Regionais de Ensino de Astronomia (Erea). Este último, promovido desde 2009, já capacitou mais de 6.200 professores passando por 67 cidades do país, até mesmo na longínqua Oiapoque, no extremo Norte do Amapá. Ele é realizado com parcerias locais e principalmente com recursos obtidos junto ao CNPq. Outro projeto promovido pela Olimpíada é o OBA de Olho no Céu, que leva Astronomia para cerca de 25.000 alunos por ano por meio do seu Planetário Digital.

 

A Mostra Brasileira de Foguetes (MOBFOG), realizada pelo 13º ano, avalia a capacidade de estudantes do Ensino Fundamental e do Ensino Médio de construir e lançar, o mais longe possível, foguetes feitos de garrafa PET, de tubo de papel ou de canudo de refrigerante. Os estudantes do Ensino Médio que conseguem lançar seus foguetes acima de 100 metros são convidados para a Jornada de Foguetes (no máximo uma equipe por escola), evento anual que reúne alunos de todo país na cidade de Barra do Piraí, no interior do Rio de Janeiro. Em 2019, a MOBFOG atraiu 150 mil estudantes.  

(Fonte complementar/Logomarcas: site oficial OBA 2019/Rede Social)

Notícia anterior

Confira as farmácias de plantão em Três Pontas neste primeiro final de semana de agosto

Próxima notícia

Apae convida trespontanos para comprar e ajudar... brechó está aberto!