Aqui Notícias de Três Pontas e regiãoPolítica em Três Pontas

A Deus está entregue Adriene, a “eterna prefeita de Três Pontas”

Arlene Brito/Fotos: Hecio Rafael

Chegada do corpo da prefeita Adriene à Apae de Três Pontas

Corpo da prefeita de Três Pontas (2001-2004), Adriene Andrade, na chegada à Apae

O portão se abriu. Sob aplausos, sob o Hino do Centenário de Três Pontas tocado por alunos da Apae que compõem a Banda regida pela musicista Lidyanne Brito – Adriene Barbosa de Faria Andrade foi recebida na noite desta segunda-feira (16), data em que se completavam dois meses do falecimento do ex-prefeito João Vicente Diniz.

A viagem havia sido longa, do Hospital em São Paulo, até a instituição no Sul de Minas por ela presidida por três mandatos. Instituição voltada ao atendimento de pessoas com deficiências onde, por 14 anos, ela dava os primeiros sinais sobre a que veio a este plano terreno: para construir uma história pela qual seria sempre lembrada e – nesta passagem – lembrada por sua maior riqueza: a do amor ao próximo, embora sua beleza externa fosse, à primeira vista, o marco na memória de muitos. Traços finos realçados pela maquiagem e pelo cabelo sempre impecável.

Ontem, assim que aportou em Três Pontas, cidade que Adriene anunciava como sua de todo o coração, foi Bruna quem cuidou para que a mãe zelosa se apresentasse como de costume: linda! Filha forte que puxou à matriarca primeira mulher eleita prefeita da Terra de Padre Victor, primeira mulher eleita presidente da Associação Mineira de Municípios (AMM), primeira mulher conselheira do Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais (TCEMG).

E lá veio ela, descendo o corredor onde incontáveis coroas sustentavam flores de todas as cores. Eram brancas, amarelas; eram vermelhas, champanhes. Desceu até chegar, por volta das 21 horas, à quadra especialmente preparada para o encontro. Na ornamentação, duas fotos em destaque remetiam a momentos de felicidade plena vividos com os filhos Diego e Bruna e com o marido Clésio. E tinham mais flores e  música suave – primeiro do Coral Cigarras Cor-de-Rosa, depois de outros dois talentos da cidade: Alex Tiso e Mauro Marques. Os músicos do Conservatório Municipal “Heitor Villa-Lobos” tornaram a recepção ainda mais emocionante ao lembrar a Serra da Boa Esperança, inspiração de Lamartine Babo na década de 30.

No espaço, num primeiro momento reservado, Adriene esteve ladeada de familiares e autoridades. Muitos vieram prestar a ela, homenagens. E o povo também chegou e se aproximou. Eram trespontanos que nutrem diferenciada admiração pela apaeana, pela gestora que abriu horizontes ao plantar industrialização na terra do café e que, entre tantos e tantos feitos, se orgulhava especialmente em ter trazido a Tecnotextil e a Faculdade Três Pontas. Conquistas pelas quais moveu “mundos e fundos” porque sabia: iria mudar a realidade de muita gente através do emprego e da educação.

Transformou e continuou promovendo melhorias, inovações mesmo depois de fixar residência na Capital Mineira. Mesmo lá, Adriene Barbosa de Faria Andrade não negou ajuda e na terra à qual chamava mãe adotiva enraizou acima de tudo a sua humildade. Culta, bem-sucedida na profissão e na vida tratava a todos com sorriso, firmeza e igualdade. Então, se tornou antes de graduada em Direito, antes de qualquer outro título, querida.

O carisma da prefeita Adriene veio à tona em depoimentos de vozes embargadas, prestados já quase no final da noite, após cerimônia religiosa pelo pároco da Paróquia Nossa Senhora d’Ajuda, Ednaldo Barbosa. Expuseram lembranças o filho Diego, a diretora da Apae Rozilda Gama e também usou a tribuna o prefeito Luiz Roberto… As horas seguintes foram mais silêncio…

Quando os relógios marcavam 9 horas de hoje (17), Adriene – nos braços de gente por ela amada – subiu a rampa, cruzou o portão da instituição “onde tudo começou” e, de novo sob aplausos, rumou para sua terra natal. Recebeu votos de merecido descanso, acenos de adultos e crianças, elogios do tipo “esta foi boa para a nossa cidade” enquanto se despedia das ruas de Três Pontas.  

Prefeita de Três Pontas 2001 2004 Adriene Barbosa de Faria Andrade

Adriene Barbosa de Faria Andrade (*24 05 1964 + 16 04 2018)

No Radium Clube Dorense, onde ainda jovem abrilhantou o Festival que se tornaria o maior do gênero do Brasil, o da Canção, recebeu as honras do também seu povo. Foi rezada Missa e houve reunião de dezenas de autoridades do cenário político mineiro e de expressivos nomes de diversos outros segmentos em demonstração de afeição e respeito.

Se aproximava do meio dia quando, ao lado dos filhos e do esposo, abriu o cortejo em caminhão do Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais. Mais um reconhecimento do quanto foi digna a filha ilustre…

E, aos 53 anos, o sepultamento. Missão cumprida, senhora Adriene Barbosa de Faria Andrade… Adriene conselheira, Adriene guerreira, Adriene dorense, mas eterna Cidadã Honorária Trespontana (1994), eterna Prefeita de Três Pontas. 


Sintonize mais: Ex-Deputado Durval Ângelo assume lugar de Adriene Andrade no TCEMG


 

Notícia anterior

Febre Amarela – macacos são encontrados mortos e Prefeitura realiza fumacê no centro de Três Pontas

Próxima notícia

MEI deverá entregar a Declaração do Anual do Simples Nacional até final de maio