Aqui Notícias de Três Pontas e regiãoPoliciaisPolítica em Três Pontas

Operação “Trem Fantasma” prende dois secretários da Prefeitura de Três Pontas; e leva mais três integrantes da Administração para o presídio

Arlene Brito

Gileno Marinho – secretário municipal de Transportes e Obras

Terra natal de Aureliano Chaves de Mendonça, considerado modelo de honradez e que entre as importantes missões exerceu a de vice-presidente da República, Três Pontas vive um delicado momento político que contradiz os exemplos éticos deixados pelo conterrâneo ilustre. A denúncia de possível fraude registrada pelo vereador Roberto Donizetti Cardoso (PP) e acatada pelo Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) resultou na prisão de José Gileno Marinho, secretário municipal de Transportes e Obras, citado como um dos principais articuladores da atual Administração.

Roberto Andrade – secretário municipal de Fazenda

Trespontanos se aglomeraram na Praça “Dr. Tristão Nogueira” e aplaudiram a ação, enquanto Gileno Marinho deixava a Delegacia local. Na Operação “Trem Fantasma”, deflagrada nesta terça-feira (15), foram cumpridos cinco mandados de prisão temporária. Também foram conduzidos à Polícia Civil e, posteriormente, ao Presídio da cidade o empresário Roberto Barros de Andrade (secretário municipal de Fazenda), Ralph Duarte Funchal (chefe da Divisão de Apoio Administrativo), Francisco Henrique de Araújo (chefe da Divisão Mat.Pat.Serv.Gerais) e Nicésio Campos Silva (chefe da Divisão de Tesouraria). As prisões temporárias, conforme divulgou o MP, foram motivadas por “cooptação de testemunhas e planos de alteração de dados no sistema”.

Sintonize mais: Vereador denunciante pede segurança pessoal

Ainda pela manhã foram cumpridos 16 mandados de busca e apreensão. Ações fiscais da Receita Estadual foram realizadas simultaneamente em empresas fornecedoras de peças e combustíveis. Isto porque a Operação visa averiguar possível fraude na execução de contratos de fornecimento de peças e combustíveis na Prefeitura de Três Pontas. Conforme a denúncia acatada pelo MPMG, em 2017 e 2018, máquinas e veículos municipais já fora de uso “continuaram recebendo peças e combustíveis”. Entre as empresas alvo da “Trem Fantasma” estão postos de combustíveis pertencentes a um grupo empresarial pelo qual responde Roberto Andrade.

Prefeitura de Três Pontas Trem Fantasma Ministério Público

Trabalhos da Operação Trem Fantasma também foram realizados no prédio da Prefeitura de Três Pontas (Foto: SintonizeAqui)

A Operação “Trem Fantasma” mobilizou 37 policiais militares, oito promotores de Justiça, sete servidores do Ministério Público, 12 fiscais da Receita Estadual e um policial civil. A ação do MPMG aconteceu através do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), núcleo Varginha, em conjunto com a 3ª Promotoria de Justiça da Comarca de Três Pontas.

(Fotos: redes sociais)


Promotores falam sobre a Operação “Trem Fantasma”, veja aqui.

 

Notícia anterior

Semana que intensifica Combate ao Abuso e à Exploração Sexual começa em Três Pontas

Próxima notícia

Segundo MP, investigações apontam fornecimento de peças e combustíveis a 12 veículos e máquinas em desuso na Prefeitura de Três Pontas