NotíciasPoliciaisPolítica em Três Pontas

Segundo MP, investigações apontam fornecimento de peças e combustíveis a 12 veículos e máquinas em desuso na Prefeitura de Três Pontas

Arlene Brito

Promotores que trabalham na Operação “Trem Fantasma” receberam a imprensa em uma coletiva realizada na tarde desta terça-feira (15), na sede do Ministério Público da comarca trespontana. Eles falaram a respeito da ação que resultou na prisão temporária de dois secretários municipais e de três outros membros da atual Administração, além da apreensão de computadores, documentos, celulares, quatro armas de fogo e munições – tudo isso na manhã de hoje.

Operação Trem Fantasma Promotores

Promotores esclareceram dúvidas de jornalistas a respeito da Operação “Trem Fantasma”

O coordenador do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), Dr. Igor Serrano Silva, confirmou que estão sendo investigadas eventuais fraudes na execução de contratos firmados para fornecimento de peças e combustíveis à Prefeitura local.

Segundo o promotor, a hipótese é que 12 veículos e máquinas pertencentes à frota do município “receberam peças e combustíveis”, mesmo estando em desuso. O suposto golpe teria sido aplicado neste ano e também em 2017. Ainda de acordo com Dr. Igor, foi constatado por intermédio de fotografias e de depoimentos de funcionários públicos municipais que, de fato, os veículos estavam parados em data anterior aos supostos fornecimentos. “Muitos veículos foram encontrados em estado de conservação muito precário, até mesmo sucateados, e em razão disso nós fizemos e continuamos fazendo a comparação entre os fornecimentos de peças e combustíveis e as datas em que as testemunhas e os mecânicos, sobretudo, informaram que esses veículos pararam”, completou o coordenador da Gaeco.

Não existem réus; presos estão na condição de investigados, destacam promotores

MPMG deflagra Operação Trem Fantasma em TP

Viatura da PC durante condução de presos da Operação “Trem Fantasma”

Dr. Igor ressaltou que os cinco trespontanos presos até o momento ostentam a condição de investigados. A linha segue pelo crime de peculato.  “Nós tivemos que tomar esta medida, de maneira instrumental, para que não perdêssemos a prova que estávamos produzindo diante dos elementos que surgiram durante as investigações”, afirmou.

No decorrer do cumprimento dos mandados de prisão temporária foram apresentados à Polícia Civil e conduzidos até o presídio de Três Pontas os secretários municipais José Gileno Marinho (Transportes e Obras) e Roberto Barros de Andrade (Fazenda), além de Ralph Duarte Funchal (chefe da Divisão de Apoio Administrativo), Francisco Henrique de Araújo (chefe da Divisão Mat.Pat.Serv.Gerais) e Nicésio Campos Silva (chefe da Divisão de Tesouraria).

Segundo o promotor Artur Forster Giovannini, eles serão ouvidos formalmente e, analisando ainda os materiais apreendidos, o Ministério Público chegará à conclusão se houve participação destes investigados e até mesmo de terceiros que possam não ter sido até agora identificados. A prisão temporária de cinco dias, conforme a Lei, poderá ser prorrogada por mais cinco dias.

Sintonize Mais: Promotores ouvem investigados

Dra. Ana Gabriela Brito Melo Rocha ressaltou durante a coletiva que não existe denúncia formal apresentada ao Ministério Público e que não existe réu em processo. “Todos os mandados foram cumpridos nos limites da legalidade e foram usados somente os instrumentos necessários por parte do Ministério Público e dos agentes que apoiaram a Operação”.

Apreensões

Operação Trem Fantasma Material Apreendido pelo MPMG

Parte do material apreendido na manhã desta terça-feira (15)

Também pela manhã foram cumpridos 16 mandados de busca e apreensão, sendo oito em prédios públicos, sete em imóveis particulares e um em imóvel particular localizado na cidade de Coqueiral.

Dra. Ana Gabriela comentou que na casa de dois investigados foram localizadas quatro armas de fogo e munições. Ainda não se sabe se eles possuem porte legal.

Além disso, um cortador de grama pertencente ao patrimônio público municipal foi encontrado na casa de um dos investigados.

Computadores, celulares e documentos também foram apreendidos.

Queima de arquivo? Acidental ou criminoso?

O MP deve investigar também um incêndio que aconteceu na Secretaria Municipal de Meio Ambiente, que vinha sendo administrada por José Gileno Marinho.

Andamento

Sede da Promotoria de Justiça em Três Pontas MG

Sede da Promotoria de Justiça, no Centro de Três Pontas

A partir da representação feita ao Ministério Público pelo vereador Roberto Donizetti Cardoso (PP) foram instalados procedimentos cíveis e criminais para dar início à apuração das possíveis fraudes.

Os primeiros quatro meses de investigações resultaram na Operação “Trem Fantasma” deflagrada com a participação de 37 policiais militares, oito promotores de Justiça, sete servidores do Ministério Público, 12 fiscais da Receita Estadual e um policial civil. A ação do MPMG aconteceu através do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), núcleo Varginha, em conjunto com a 3ª Promotoria de Justiça da Comarca de Três Pontas.

 

Notícia anterior

Operação “Trem Fantasma” prende dois secretários da Prefeitura de Três Pontas; e leva mais três integrantes da Administração para o presídio

Próxima notícia

Escolas estaduais trespontanas estão sem aula nesta quarta; professores paralisaram atividades em todo o Estado